Em visita à Hungria, papa pede vigilância contra aumento do antissemitismo

Em breve visita à Hungria neste domingo (12), o papa Francisco pediu vigilância contra o aumento do antissemitismo. “Este é um estopim que não deve queimar”, disse ele, de acordo com matéria de Gergely Szakacs, da Reuters, divulgada pela CNN Brasil. “Penso na ameaça do antissemitismo ainda à espreita na Europa e em outros lugares”, disse o papa em um encontro ecumênico em Budapeste com líderes judeus e de outras religiões cristãs. Mais de meio milhão de judeus húngaros foram mortos no Holocausto e hoje existem entre 75.000 a 100.000 judeus na Hungria – o maior número na Europa Central, de acordo com o Congresso Judaico Mundial, com a maioria deles em Budapeste.