Foto: Milton Gevertz

Embaixador e cônsules da Alemanha visitam a CIP

Com a proposta de estreitar laços da comunidade alemã com a comunidade judaica, o Embaixador da Alemanha no Brasil, Heiko Thoms, acompanhado do Cônsul Geral, Thomas Schmitt e do  Cônsul para Ciência e Cultura,  Julius Calaminus, visitaram CIP no dia 19 de novembro.

O encontro também contou com a presença de Fernando Lottenberg (presidente do Conselho Consultivo da Conib e comissário da OEA para Monitoramento e Combate ao Antissemitismo), Paulo Kulikovsky (vice-presidente da CIP), Raul Meyer (diretor voluntário da Academia CIP de Cultura e Estudos Judaicos), dos diretores executivos do Museu Judaico de São Paulo, Felipe Arruda e Roberta Sundfeld  e da equipe da CIP composta pelo rabino Dr. Ruben Sternschein, Adriana Benjamin (CEO), Eve Pekelman (diretora executiva de Desenvolvimento Institucional) e Raquel Gabel (coordenadora de Eventos).

O Embaixador iniciou a conversa destacando que teve sentimentos contraditórios ao ler a placa com os nomes dos fundadores da CIP. “Por um lado, esses nomes de origem alemã (muitos deles de refugiados da Alemanha) transmitem tristeza, por me lembrar dos  horrores do nazismo. Ao mesmo tempo, também  me despertam um sentimento de gratidão, por conta da forte amizade atual entre a  Alemanha e a comunidade judaica em todo o mundo. Tanto para a  Embaixada  quanto para o Consulado da Alemanha  é crucial manter viva essa boa relação”, destacou.

O rabino Ruben Sternschein apontou três pilares  que devem ser levados em consideração: A  pré-Shoá, na qual é importante resgatar as artes, a história das comunidades e a produção cultural e filosófica, que caracterizou o que conhecemos como judaísmo moderno; A  memória da Shoá que nos mostra que não é possível estabelecer nenhum tipo de relação entre a Alemanha e os judeus e Israel que não leve em conta essa parte obscura de nossa memória e a atualidade. Tanto a atualidade dos judeus na Alemanha, quanto a relação da Alemanha com as comunidades judaicas e com o governo de Israel.

O cônsul Thomas Schmitt, afirmou que o Consulado está empenhado em seguir com os projetos onde essa relação possa ser fortalecida, como, por exemplo, por meio de mudanças na lei para a obtenção da cidadania alemã.

Os diretores executivos do Museu Judaico de São Paulo aproveitaram a ocasião para falar sobre a inauguração do museu, que  acontecerá em breve, e o papel  que desempenhará no combate ao preconceito, a intolerância e aos estereótipos sobre  o povo judeu.

Foto: Milton Gevertz