Especialista destaca a importância da resolução aprovada pela Assembleia da ONU contra a negação do Holocausto

Em artigo em O Estado de S.Paulo, o cientista político Cássio Faeddo lembrou que a data de 27 de janeiro foi instituída pela ONU por ser o dia em que as tropas soviéticas libertaram os prisioneiros dos campos de concentração e extermínio em Auschwitz e destacou a importância de, no último dia 20 de janeiro, a Assembleia Geral das Nações Unidas ter aprovado resolução que condena a negação e a distorção do Holocausto Não há como reparar as atrocidades cometidas na 2ª Guerra Mundial contra milhões de pessoas indefesas, pois nenhuma reparação jurídica jamais será suficiente para garantir que não se renovem as tentativas neonazistas e neofascistas de relativizar o horror, utilizando-se de mentiras e revisionismos históricos, diz ele.
Faeddo diz ainda ver com preocupação citações e comentários descabidos no Brasil sobre os acontecimentos do Holocausto. Afirma que, apesar de o nazismo e o fascismo terem sido derrotados, suas bases ideológicas ainda continuam presentes no Brasil e em outros países.
Cássio Faeddo é advogado, mestre em Direito. Especialista em Ciências Políticas-USCS. MBA em Relações Internacionais/FGVSP