Especialistas em terrorismo vão debater a presença do Hezbollah na América Latina em evento para lembrar o atentado à AMIA

Com o apoio da Confederação Israelita do Brasil (Conib) e do Congresso Judaico Mundial (CJM), o Congresso Judaico Latino-Americano (CJL) está promovendo uma série de atividades para lembrar o 26º aniversário do ataque à AMIA. Associação Mutual Israelita Argentina, em 18 de julho de 1994 em Buenos Aires – o pior atentado terrorista na Argentina.

Um dos eventos é um encontro online com dois especialistas em terrorismo.

Ely Karmon (principal investigador do Instituto de Luta contra o Terrorismo-ICT de Israel) e Emanuele Ottolenghi (investigador especializado em terrorismo da Fundação para a Defesa das Democracias) vão abordar em live na próxima segunda-feira (6) a presença do Hezbollah na América Latina.

O encontro terá transmissão para as comunidades judaicas de São Paulo, Buenos Aires, Montevidéu, Santiago, La Paz, Assunção, Caracas, Lima, Quito, Panamá, Manágua, San Salvador, Honduras e Guatemala (Veja os horários). Inscreva-se aqui.

O atentado à sede da AMIA causou a morte de 85 pessoas e ferimentos em mais de 300. Ex-funcionários iranianos, com a colaboração de membros do Hezbollah, foram apontados como os responsáveis, mas até hoje ninguém foi punido.

Está prevista também uma cerimônia virtual em solidariedade aos familiares das vítimas. A adesão está sujeita à aprovação do Congresso Judaico Latino-Americano.