“Estamos enriquecendo mais urânio do que antes do acordo de 2015”, diz presidente iraniano

Em declarações transmitidas hoje pela televisão iraniana, o presidente Hassan Rouhani disse que o Irã está enriquecendo mais urânio do que antes do acordo nuclear assinado em 2015 com as grandes potências.

“Estamos enriquecendo mais urânio do que antes do acordo (de 2015). A pressão aumentou no Irã, mas continuamos a avançar”, afirmou o presidente iraniano.

O pacto, ou JCPOA, foi acordado em 2015 entre Teerã e potências mundiais. O presidente Donald Trump retirou os EUA do acordo em 2018 e impôs duras sanções ao Irã, alegando que o pacto era fraco e que era necessário um compromisso mais abrangente envolvendo questões nucleares e outras, relacionadas ao desenvolvimento de mísseis.

O Irã reduziu gradualmente seus compromissos assumidos no acordo nuclear em retaliação à retirada de Washington do pacto em 2018 e a retomada das sanções.

Ontem, Rouhani rejeitou a proposta de um novo “acordo de Trump”, dizendo que essa era uma “oferta estranha” e criticando o presidente dos EUA por “sempre quebrar as promessas”.

Rouhani disse a Washington para voltar ao pacto nuclear de 2015 entre Teerã e as potências mundiais, acrescentando que o Irã poderia reverter seus movimentos para reduzir seus compromissos sob o pacto.

Ele criticou a decisão de países europeus de denunciar o pacto, dizendo que eles também não cumpriram seus compromissos.

Ao rechaçar a ideia de um novo acordo, Rouhani referia-se ao comentário feito pelo primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, na terça-feira. Johnson sugeriu que o acordo nuclear iraniano de 2015 deveria ser substituído por outro proposto por Donald Trump, para garantir que Teerã, de fato, não obtenha uma arma atômica.

“Esse primeiro-ministro de Londres, eu não sei como ele pensa. Ele diz para deixarmos de lado o acordo nuclear e pôr em ação um plano de Trump”, disse Rouhani ao abrir uma reunião ministerial, transmitida pela TV estatal. “Escolha o caminho certo, e o caminho certo é retornar ao acordo nuclear”.

O chanceler iraniano, Mohammad Javad Zarif, também comentou o tema quando participava de uma conferência em Nova Délhi, na Índia. Zarif disse que o acordo de 2015 ainda está valendo, apesar dos anúncios iranianos de que reduzirá seu cumprimento, em represália às posições americanas. Segundo ele, a saída de Trump do pacto torna inúteis novas negociações com Washington:

“Eu tive um acordo com os EUA e eles romperam esse acordo. Se eu tiver um acordo proposto por Trump, quanto tempo irá durar?”
Em sua conta no Twitter, o presidente americano repercutiu a sugestão de Boris Johnson, mas limitou-se a dizer que concordava com a ideia.