EUA já conversam com o Irã sobre o acordo nuclear, diz jornal

As negociações sobre o retorno dos EUA ao acordo nuclear de 2015 com o Irã estão em andamento em Nova York há cerca de três semanas, entre membros do governo do presidente Joe Biden e atores iranianos, de acordo com uma fonte citada pelo jornal francês Le Figaro, em matéria divulgada pelo Maariv, a publicação irmã do Jerusalem Post.

Signatários europeus do acordo – França, Grã-Bretanha e Alemanha – aparentemente não sabiam das negociações.

“Saberemos em breve se os esforços (para voltar ao acordo) foram bem-sucedidos”, disse a fonte ao Le Figaro.

O governo Trump abandonou o acordo em 2018, mas Biden foi claro sobre seu desejo de retornar ao acordo conhecido como JCPOA. O pacto foi assinado pelo Irã e pelas seis potências mundiais: EUA, Rússia, China, França, Alemanha e Grã-Bretanha.

A fonte explicou que, caso os EUA voltem ao acordo, poucas sanções impostas ao Irã podem ser removidas, incluindo a proibição de venda de petróleo.

Reportagens semelhantes surgiram na mídia sobre possíveis conversas entre representantes do governo Biden e autoridades israelenses, antes da posse do presidente dos EUA, Joe Biden, na quarta-feira. Israel negou essas informações.

Mas o novo secretário de Estado dos EUA, Anthony Blinken, e a secretária de Imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, foram claros sobre o desejo de Biden de se envolver com israelenses e representantes de outros países antes de tomar qualquer decisão.

Os Estados Unidos buscam estender e fortalecer as restrições nucleares ao Irã por meio da diplomacia e a questão fará parte das primeiras conversas do presidente Joe Biden com seus homólogos e aliados estrangeiros, disse Psaki na quarta-feira.

Biden disse que se Teerã retomar o cumprimento estrito do acordo nuclear de 2015 – segundo o qual o país restringiu seu programa nuclear em troca de alívio das sanções econômicas – Washington também o faria.

“O presidente deixou claro que acredita que, por meio da diplomacia, os Estados Unidos buscarão estender e fortalecer as restrições nucleares ao Irã e abordar outras questões preocupantes. O Irã deve retomar o cumprimento das restrições nucleares acertadas sob o acordo para que as negociações avancem”, disse Psaki.

Na terça-feira, Blinken disse que Washington não decidiu se voltaria ao acordo nuclear e que o presidente democrata precisaria ver o que o Irã realmente fez para retomar o cumprimento do pacto.

O Irã vem rompendo gradualmente os principais limites estabelecidos no pacto sobre sua atividade nuclear, aumentando seu estoque de urânio de baixo enriquecimento, enriquecendo urânio em níveis mais elevados de pureza e instalando centrífugas de forma proibida pelo acordo.

O Irã quer ação e “não apenas palavras”, tuitou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores iraniano, Saeed Khatibzadeh, logo depois que Joe Biden foi empossado como presidente dos Estados Unidos, na quarta-feira.