Ex-presidente do Knesset aceita convite para ocupar o Ministério da Saúde

O ex-presidente do Knesset Yuli Edelstein aceitou um convite do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu para ocupar o Ministério da Saúde, prometendo se empenhar para manter a pandemia de coronavírus distante da população.

Uma declaração conjunta de Netanyahu e Edelstein disse que o membro mais antigo do Likud “aceitou o desafio” e “escolheu o Ministério da Saúde” dentre os vários cargos oferecidos a ele.

“Depois de servir aos cidadãos de Israel por sete anos como presidente do Knesset, escolhi aceitar o desafio mais importante e significativo: a luta contra o coronavírus e a preparação do sistema de saúde de Israel para novos desafios”, disse Edelstein.

“Agradeço a Edelstein por aceitar meu convite e desejo-lhe boa sorte no cargo”, disse Netanyahu em comunicado, acrescentando que Edelstein também fará parte do gabinete de segurança de alto nível e será vice-presidente de um órgão ministerial que supervisiona a resposta ao coronavírus.

A indicação veio depois que o diretor-geral do Ministério da Saúde, Moshe Bar Siman-Tov, renunciou antes da nomeação de um novo ministro da Saúde. O ministro da Saúde, Yaakov Litzman, deve ocupar o ministério que cuida de moradias.

Edelstein ocupou o cargo de presidente do Knesset de 2013 até o início deste ano, quando desafiou a Suprema Corte de Justiça ao resistir à convocação do Parlamento. O cargo foi então ocupado por Benny Gantz, do Azul e Branco, com o apoio de Netanyahu, abrindo caminho para negociações que resultaram em um acordo para formação de um governo de coalizão de três anos com rotatividade entre os líderes.