Divulgação

Fernando Lottenberg, representante da OEA, CJL e Argentina protestam contra a presença de iraniano envolvido em ataque à AMIA na Nicarágua

Nomeado em outubro de 2021 comissário da Organização dos Estados Americanos (OEA) para Monitoramento e Combate ao Antissemitismo, o ex-presidente da CONIB e atual presidente do Conselho Consultivo da instituição, Fernando Lottenberg, repudiou a presença do vice-presidente do Irã Mohsen Razei na posse de Daniel Ortega na Nicarágua. “Repudio a presença do vice-presidente do Irã na posse de Daniel Ortega na Nicarágua. Acusado pela Argentina de participar do atentado à AMIA em 1994, Razei se encontra sob alerta vermelho da Interpol e a Nicarágua, como membro dessa instituição, deveria cumprir a ordem de prisão. Como afirmou em ocasiões anteriores o secretário-geral da OEA, Luis Almagro, Teerã continua sendo uma ameaça à paz e à segurança no hemisfério ocidental, apoiando grupos terroristas e suas fontes de financiamento do narcotráfico que desestabilizam a região e ameaçam nossas democracias”, publicou Lottenberg em suas redes sociais.
Razei é acusado de ter participado do atentado à organização judaica AMIA, em Buenos Aires, em 1994, e é procurado pela Interpol.
O Congresso Judaico Latino-Americano (CJL) também repudiou a presença do iraniano na Nicarágua, afirmando, no Twitter, que “a participação de Razei em um ato oficial, ao lado de embaixadores e chefes de Estado, é uma ofensa à memoria das vítimas da AMIA e uma afronta à justiça argentina, que há anos exige a sua prisão pela Interpol”.
A Argentina também reagiu contra a presença de Razei na Nicarágua, afirmando que a recepção ao iraniano é uma afronta à justiça do país e às famílias das vítimas do brutal ataque terrorista à AMIA.
Razei participou na segunda-feira (10) da posse de Ortega. Ele é acusado, junto com outros ex-funcionários iranianos, de ter participado do atentado que matou 85 pessoas e deixou mais de 300 feridas na sede da AMIA, em 18 de julho de 1994.