Festa de Purim agora é data oficial da cidade de São Paulo

O Diário Oficial publicou no dia 1 de agosto a Lei 17.413, que inclui a Festa de Purim no calendário oficial de eventos da cidade de São Paulo. “Criamos essa Lei com o objetivo de contar essa história, tão rica e importante, para que não nos esqueçamos jamais pelo que passamos, nem deixemos que isso se repita novamente”, disse o vereador Daniel Annenberg.

A festa de Purim marca a salvação dos judeus perseguidos por Hamã, ministro-chefe do rei persa Assuero, que pretendia matar todos os judeus do reino. A data é especialmente importante porque decorre do heroísmo de uma mulher: foi Ester, judia e casada com Assuero, que salvou o povo judeu e transformou o dia em um feriado.

Hamã quis exterminar o povo judeu e tentou manipular o rei para conseguir isso, porque alimentava um desejo de matar todos os judeus que haviam ficado cativos na Babilônia. Apesar de toda a sua trama, Ester, com muita sabedoria, promoveu jantares na presença do rei e do próprio Hamã, e com cautela mostrou ao rei que estava sendo manipulado. Ao descobrir a verdade, o rei ordenou que Hamã fosse morto e permitiu que o povo judeu pudesse se organizar e se defender de ataques, além de ter liberdade para adorar ao seu Deus.

Assim como o jejum e as orações judaicas, tem uma característica distinta, há um sabor especial em seu regozijo, pois é uma alegria derivada de uma das mais pavorosas e graves situações ocorridas na história judaica. Na ocasião, come-se a chamada “Orelha de Hamã”, um doce muito gostoso de massa recheada com uvas ou nozes. A Festa de Purim é muitas vezes chamada de “Carnaval judaico”, pela sua alegria, pelas fantasias e até pela proximidade no calendário, pois acontece no início de março.