Filme conta história de judia sobrevivente do Gulag

Haya-Lea nasceu em 1920 na cidade de Rovno, então pertencente à Polônia, e cresceu em uma família tradicional judia. Juntou-se ao movimento juvenil sionista Hashomer Hatzair e almejava imigrar para a então Palestina.
 
Em setembro de 1939, os soviéticos conquistaram a parte oriental da Polônia. O Hashomer foi considerado uma instituição antissoviética, e seus membros foram levados para campos de trabalho forçado na Sibéria, os Gulags. 

Em 1941, Haya-Lea foi condenada a de 10 anos de prisão. Logo após, sua cidade foi invadida pelos nazistas, que mataram toda a família, com exceção de seu irmão Aron. 

Ela sobreviveu ao Gulag, casou-se, teve um filho. Só em 1991, pôde concretizar seu sonho e visitou Israel, libertando “a sionista aprisionada por décadas”. Em Israel, reviu muitos amigos de Rovno. “Só não imigrei porque achei que já tinha passado da idade”, declarou. 

Veja a história de Haya-Lea e de sua família.