Google, Facebook e YouTube removem conteúdo antissemita em espanhol

Google, Facebook e YouTube estão removendo uma grande quantidade de conteúdo antissemita em espanhol de suas plataformas, segundo constatou relatório divulgado pelo The Web Observatory, ou Observatório da Web – uma iniciativa conjunta entre o Congresso Judaico Latino-Americano (CJL) e as organizações judaicas argentinas DAIA e AMIA.

Em relatório divulgado em 25 de setembro, o Web Observatory revelou que em 2016, cerca de 30% dos resultados de pesquisa online no Google em espanhol para a palavra “judeu” – “Judio” em espanhol – continham conteúdo antissemita. Esse número caiu para cerca de 3%, revela o relatório.

A quantidade de conteúdo antissemita nos 10 principais resultados de uma busca no Google pelo termo caiu 50% no ano passado.

O espanhol é o segundo idioma mais popular usado no Facebook, e cerca de 30% do conteúdo que menciona judeus na plataforma em espanhol envolve antissemitismo, de acordo com o relatório. Dentro do conteúdo antissemita, cerca de 65% envolvia a palavra “sionismo” e cerca de 40% a palavra “Israel”.

“Israel e o sionismo são os veículos do antissemitismo online, esta é uma tendência consolidada”, afirma o relatório.

No caso do YouTube, o Observatorio Web identificou 500 vídeos em espanhol que promovem a negação do Holocausto, que o YouTube já retirou do ar.

“As empresas estão começando a trabalhar contra o discurso de ódio, mas ainda há muito a fazer”, disse o diretor da Web do Obervatorio, Ariel Siedler, à Agência Telegráfica Judaica.