Grupos judaicos franceses lançam campanha e convocam manifestação para pedir justiça por Sarah Halimi

O Conselho Representativo das Instituições Judaicas da França (CRIF) e o Movimento Combate ao Antissemitismo (CAM) lançaram campanha para pedir justiça por Sarah Halimi, cujo assassino foi inocentado pela Corte Francesa de Apelações por estar sob efeito de maconha quando cometeu o crime.
“Junte-se a nós e a pessoas conscientes de todo o mundo e demonstre sua solidariedade à família de Sarah Halimi e à comunidade judaica francesa para exigir que o assassino antissemita de Halimi seja responsabilizado por seu crime”, diz a campanha.
Na semana passada, a família da judia francesa Sarah Halimi recebeu um segundo golpe quando a Corte Francesa de Apelações confirmou a sentença de tribunais inferiores que consideraram que Kobili Traoré não poderia ser responsabilizado pelo crime, uma vez que estava em surto psicótico após ter fumado maconha.
Sarah foi assassinada em 2017 por Traoré, um vizinho que a espancou violentamente antes de atirá-la pela janela de seu apartamento. Traoré confessou o crime e desde então está sob custódia do Estado internado em um hospital psiquiátrico.
“Não há justificativa para o antissemitismo e os crimes de ódio devem ser punidos com toda a força da lei”, dizem os organizadores da campanha #JusticeForSarah #JeSuisSarah.
Os líderes judeus franceses convocaram uma grande manifestação de protesto em Paris para o domingo, 25 de abril, às 14h (horário local) no Parvis des Droits de l’Homme, na Place du Trocadéro.