‘Há de se repudiar com toda a veemência a inaceitável agressão feita por Alvim’, diz Toffoli

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, disse nesta sexta-feira, 17, que “há de se repudiar com toda a veemência a inaceitável agressão que representa a postagem feita pelo secretário de Cultura” com referências ao nazismo. As declarações de Roberto Alvim chocaram integrantes de tribunais superiores em Brasília.

“É uma ofensa ao povo brasileiro, em especial à comunidade judaica”, afirmou o presidente do Supremo, em nota divulgada à imprensa. Esta foi manifestação mais contundente até agora de Toffoli sobre uma declaração controversa de integrantes do governo Bolsonaro.

O ministro Rogério Schietti, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), por sua vez, disse à reportagem que não pode “deixar de externar surpresa e preocupação” com o pronunciamento do secretário.

“Intenções de que se ‘faça uma cultura que não destrua, mas salve a nossa juventude’, de que ‘almejamos uma nova arte nacional’ ou de que ‘a cultura será igualmente imperativa’ e de que se deseja ‘redefinir a qualidade da produção cultural em nosso país’, além de outras insólitas frases de palanque transmitidas em vídeo institucional, indicam um nítido desconhecimento do que seja arte e cultura e sinalizam para um direcionamento ideológico do que há de mais natural e espontâneo em qualquer nação. A história já mostrou onde terminou esse tipo de discurso”, disse Schietti.

Para um outro magistrado, que pediu para não ser identificado, o vídeo é “neonazismo inconstitucional escancarado de um subalterno”.