Israel homenageia soldados mortos em conflitos e as vítimas de terrorismo com um alerta ao Irã

Israel prestou homenagem nesta terça e quarta-feira aos soldados mortos em conflitos e às vítimas de terrorismo (Yom Hazicaron), com um apelo dos líderes em favor da unidade e contra a polarização, em momentos em que o país enfrenta uma série de atos terroristas.

Em cerimônia no cemitério militar do Monte Herzl, o primeiro-ministro Naftali Bennett destacou que o momento requer que a nação esteja unida e que a força de Israel é a união. De acordo com informações divulgadas pelo escritório do primeiro-ministro, Bennett disse que Israel está em uma luta contínua contra inimigos que buscam a destruição do país, através da violência e do terrorismo. Bennett advertiu que Israel agirá com rigor contra os perpetradores e os que financiam e promovem o terrorismo, como o Irã. Segundo a imprensa, 56 soldados morreram durante o serviço militar desde o último Yom Hazicaron. Outros 84 veteranos com deficiência morreram devido a complicações de ferimentos sofridos durante o serviço.