Israel já se prepara para pôr fim às regras de uso obrigatório de máscaras

O Ministério da Saúde está se preparando para acabar com as regras que obrigam os israelenses a usar máscaras faciais ao ar livre.

A mudança para acabar com o uso de máscaras ao ar livre pode ocorrer em abril, disse a emissora, após a queda contínua nas taxas de morbidade em Israel. Autoridades disseram recentemente que Israel não tem planos de seguir as diretrizes dos EUA que permitem que as pessoas vacinadas façam pequenas reuniões em ambientes fechados sem máscaras.

Falando ao Canal 12 no domingo, o Diretor-Geral do Ministério da Saúde Chezy Levy se recusou a comentar sobre o uso da máscara, mas disse que é possível que os limites atuais para reuniões privadas – de 20 pessoas em ambientes fechados e 50 ao ar livre – sejam ampliados, talvez até antes do início do feriado judaico de Pessach. O feriado começa este ano na noite de sábado, 27 de março.

“Temos mais duas semanas, é possível que mudemos as restrições para melhor antes da noite do Seder; podemos permitir que um número maior de pessoas se reúnam. Não posso fazer promessas, mas acredito que isso acontecerá. Depende de nós”, disse ele.

Quando questionado sobre por que algumas crianças em Israel ainda não podem voltar à escola, apesar do fato de que muitas outras restrições estão sendo retiradas, Levy explicou: “Estamos falando de crianças que não são vacinadas e que ficam juntas o dia todo”.

Israel tem experimentado recentemente uma tendência de declínio diário de novos casos de coronavírus, declínio de casos ativos, um declínio nos testes diários positivos e no número básico de reprodução; e um declínio no número altamente importante de casos graves de Covid-19 no país.

Números divulgados no domingo mostraram casos ativos caindo abaixo de 30.000 pela primeira vez desde setembro, atingindo 27.974.

Os números também mostram que o número básico de reprodução, ou R0, que representa o número médio de pessoas infectadas por cada portador do vírus, caiu para 0,78 – o ponto mais baixo desde outubro.

Essas quedas são amplamente atribuídas ao programa de vacinação bem-sucedido de Israel. Mais de 4,1 milhões de israelenses foram totalmente vacinados, disse o Ministério da Saúde, e mais de 5,1 receberam a primeira dose. Apenas 1.128.000 israelenses com mais de 16 anos ainda precisam ser vacinados, 256.000 dos quais têm mais de 50 anos.

No entanto, no domingo, Israel também ultrapassou o marco desolador de 6.000 mortos. De acordo com o Ministério da Saúde, 6.008 morreram de Covid-19 desde o surto do vírus em março passado – um aumento de 16 desde a última atualização na manhã de domingo.

Foto:Yahav Gamliel/Flash90