Israel registra mais de 2.200 casos diários de Covid-19 à medida em que avança em direção a novas restrições

O Ministério israelense da Saúde informou nesta terça-feira que 2.279 novos casos de coronavírus foram registrados no dia anterior, com o aumento da taxa de infecção se aproximando do limite estabelecido pelo governo para adotar novas restrições.
Foi a primeira vez que mais de 2.000 infecções foram registradas em um dia desde 14 de outubro, quando Israel ainda estava em seu segundo bloqueio nacional.
Junto com outros 391 casos registrados desde a meia-noite, o número de infecções diagnosticadas desde o início da pandemia subiu para 360.297. Destes, 18.651 eram ativos, com 344 pessoas em estado grave, incluindo 130 em ventiladores. Há também outros 134 israelenses em estado moderado e o restante apresenta sintomas leves ou nenhum sintoma.
O número de mortos por Covid-19 é de 3.004.
O ministério disse que 70.977 testes foram realizados nesta segunda-feira, 3,2 por cento dos quais deram positivo. A taxa de positividade do teste ultrapassou 3% nos últimos dias, após permanecer entre 2,4% e 2,9%.
Na semana passada, os ministros concordaram em começar a reimpor as restrições como parte de um plano de “restrição mais rígida” se o número de casos diários chegar a 2.500.
“Estamos tentando evitar um bloqueio total com a ajuda de etapas que são um pouco menores que o bloqueio. Se isso não der certo e virmos outro aumento na morbidade, seremos forçados a chegar a um bloqueio total”, disse Nachman Ash, do Departamento de Coronavírus, a uma emissora de rádio.
Itamar Grotto, vice-diretor-geral do Ministério da Saúde também alertou que Israel estava se aproximando de um terceiro bloqueio.
“Vai demorar dois a três meses até vermos o efeito das vacinas. Não podemos ser complacentes”, disse Grotto em entrevista à Rádio do Exército
Grotto disse esperar que o aumento de infecções nesta segunda-feira tenha sido algo excepcional.
Em seu relatório diário, uma força-tarefa militar disse que os casos diários devem chegar a 2.500 em uma média semanal até o final de dezembro. O Centro Nacional de Informações sobre Coronavirus também reiterou sua previsão de que a campanha de vacinação que está prevista para começar no próximo domingo não deve ter um grande impacto na redução dos casos pelo menos até o final de março.