Israel registra mais de 8.500 infecções diárias por Covid, enquanto casos graves sobem para 559

Israel registrou 8.646 novos casos de Covid-19 nesta segunda-feira, um novo recorde no atual surto da variante Delta, que atingiu, inclusive, um parlamentar que está hospitalizado recebendo oxigênio, de acordo com matéria no Times of Israel.
Dados atualizados do Ministério da Saúde na manhã desta terça-feira mostraram que também houve 1.691 casos diagnosticados desde a meia-noite, elevando o número total de casos desde o início da pandemia para 951.226.
O Ministério informou que 6,2 por cento dos 141.972 testes no dia anterior deram positivo. Os casos ativos somaram 55.323.
O número de pacientes graves chegou a 559, incluindo 89 em ventiladores. O ministério disse que os casos graves são muito mais comuns entre os não vacinados: entre os pacientes não vacinados com 60 anos ou mais, houve 154,7 casos graves por 100.000 pessoas em comparação com 19,8 entre os vacinados. Houve 13 mortes registradas durante a noite, elevando o número total de mortos para 6.694.
O ministério disse que 5.855.387 da população de Israel de 9,3 milhões receberam pelo menos uma dose de vacina, 5.421.544 receberam pelo menos duas e 1.052.615 receberam vacinas de reforço, que estão disponíveis apenas para pessoas com 50 anos ou mais, profissionais de saúde e pessoas com problemas imunológicos .
O número básico de reprodução, ou R0 – representando quantas pessoas cada portador de vírus infecta em média – caiu ligeiramente para 1,28.
O parlamentar trabalhista Gilad Kariv, que contraiu Covid-19 apesar de estar totalmente vacinado, foi hospitalizado nesta terça-feira no hospital Sheba em Tel Hashomer.
Kariv, um rabino reformista que preside o Comitê de Constituição, Lei e Justiça do Knesset, decidiu ir para o hospital depois que seus sintomas pioraram e após consultar o médico do Parlamento. Os médicos disseram que ele estava recebendo oxigênio, se sentindo bem e sob supervisão médica na enfermaria de coronavírus do hospital.
Quatro outros legisladores testaram positivo para Covid na semana passada: Ofer Cassif (Lista Conjunta), Inbar Bezek (Yesh Atid), Simcha Rothman e Itamar Ben Gvir (ambos do Sionismo Religioso).
Em meio ao aumento dos casos, Israel se tornou no mês passado o primeiro país do mundo a começar a administrar doses de reforço para pessoas com 60 anos ou mais, e foi pioneiro quando começou a aplicar, na sexta-feira, a terceira dose também para pessoas com 50 anos ou mais.