Israel terá como alvo qualquer um que tentar atacar o país, diz Netanyahu

Em coletiva de imprensa ao lado dos chefes de Gabinete das Forças de Defesa de Israel (IDFs), tenente-general, Aviv Kochavi, e do Shin Bet (Agência de Segurança Interna de Israel), Nadav Argaman, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu advertiu que “Israel terá como alvo qualquer pessoa que tentar atacar o Estado judeu”.

“Os terroristas pensam que podem atingir civis e se esconder atrás de outros civis”, disse o primeiro-ministro. “Mostramos que podemos atingir o terrorista com danos mínimos aos civis. Quem pensa que pode atingir nossos civis impunemente está errado. Se formos atingidos, nós o atingiremos”, disse o premier sobre o ataque que causou a morte de um dos principais comandantes da Jihad Islâmica: Baha Abu al-Ata na Faixa de Gaza.

Autoridades militares israelenses afirmaram que Abu al-Ata era o responsável por vários disparos de mísseis contra Israel a partir do território palestino. De acordo com os comandantes militares israelenses, ele estaria preparando ataques e operações com mísseis, franco-atiradores, drones e combatentes.

“Ele era responsável por vários ataques terroristas, por lançamentos de mísseis contra o Estado de Israel nos últimos meses e tinha a intenção de cometer ataques iminentes”, declarou o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, antes de informar que a operação foi aprovada pelo gabinete de segurança.

Kochavi disse que al-Ata foi a pessoa que tentou minar os esforços de Israel para alcançar um cessar-fogo com o Hamas na Faixa de Gaza. “Nos últimos dias, ele estava trabalhando para realizar ataques contra Israel”, disse ele. “Tentamos frustrar seus esforços de maneiras diferentes, sem sucesso, e então recomendamos uma ação direta”.

Kochavi acrescentou: “Não estamos interessados em uma escalada, mas estamos prontos – por terra, ar e mar”.

No início da manhã desta terça-feira, Israel atingiu uma casa na Faixa de Gaza, matando Bahaa Abu al-Atta, um dos principais comandantes de campo da Jihad Islâmica, responsável pela recente onda de ataques com foguetes contra Israel.