Israel vacina 2,2 milhões de pessoas e número de infecções começa a cair

O ministro israelense da Saúde, Yuli Edelstein, disse que mais de 2,2 milhões de pessoas no país já tomaram pelo menos uma dose da vacina da Pfizer contra a Covid-19.

Edelstein apresentou nesta quarta-feira números que mostram que mais de 210.000 vacinas foram administradas no dia anterior, um novo recorde para o programa de vacinação em massa do país.

“Esse é o ritmo para derrotar a mutação!” tuitou Edelstein, referindo-se à chamada cepa britânica do vírus, altamente contagiosa, que tem sido responsabilizada pela recente escalada no número de infecções, apesar dos esforços contínuos de imunização.

Edelstein forneceu dados do ministério que mostram que 2.272.000 pessoas já tomaram a primeira das duas doses da vacinas da Pfizer-BioNTech, incluindo 550.000 que também receberam a segunda dose. O número representa cerca de um quarto dos 9,3 milhões de cidadãos de Israel e mantém sua posição como o país com a maior taxa de vacinação per capita do mundo, de acordo com grupos de monitoramento.

Instando a adesão contínua às diretrizes de bloqueio do Ministério da Saúde, que foram estendidas até 31 de janeiro, Edelstein pediu “um pouco mais (de esforço) e isso ficará para trás”.

Seus números foram mais otimistas do que os divulgados pelo ministério durante a manhã, que mostraram que 56.008 pessoas tomaram a primeira dose da vacina na terça-feira e outras 114.769 tomaram a segunda dose para um total de 170.777. Não ficou claro por que houve essa diferença nos números.

O ministério disse que 8.511 novos casos foram confirmados nesta terça-feira, uma queda de cerca de 1.500 em relação aos 10.058 casos detectados na segunda-feira. O número desta terça-feira foi o menor de casos diários em mais de uma semana.

A taxa de teste positivo também caiu para 9,2%, depois de ter chegado a 10,2% na segunda-feira.

Desde o início do surto no início do ano passado, 570.085 casos de coronavírus foram confirmados em Israel e há 82.930 pacientes ativos.

O número de pacientes gravemente enfermos caiu pelo quarto dia consecutivo, com 1.113 casos e 308 em ventiladores.

O número de mortes aumentou para 4.142, com 21 pessoas mortas nesta terça-feira. Foi o menor número de mortes em um dia desde o final de dezembro.

Os números foram divulgados um dia depois de o governo ter votado para estender por mais 10 dias o bloqueio nacional em vigor adotado para reduzir as taxas de infecção. Após decisão unânime do gabinete, o bloqueio deve terminar em 31 de janeiro.

Os ministros também aprovaram uma multa de NIS 2.500 (US$ 772) para quem chegar ao país sem um recente teste de coronavírus negativo, de acordo com o gabinete do primeiro-ministro. Segundo a nova política, o teste deve ser realizado dentro de 72 horas antes do desembarque em Israel.

Na reunião, as autoridades de saúde disseram que o impacto do bloqueio nas taxas de infecção ainda não foi visto, mas deve se tornar claro nos próximos dias.

Foto: Miriam Alster/Flash90