Divulgação Conib

Jornada Nacional de Educação Judaica inicia programação nesta terça, voltada para os desafios do futuro 

O futuro começa hoje? Como se preparar para ele? Como preparar os alunos e os educadores para o que está por vir? Estas foram algumas das questões abordadas no primeiro dia de atividades da Jornada Nacional de Educação Judaica que tem por tema “Os desafios da Educação no presente – De futuros possíveis a futuros desejáveis”, que aconteceu em formato virtual, e totalmente ao vivo, com palestrantes do Ministério da Educação de Israel, nesta terça (31) e que reuniu 100 educadores de todo o Brasil.
A abertura foi feita pelo diretor da Conib e presidente da Fisesp, Luiz Kignel, que frisou que “A Educação tem que ser um projeto comunitário”, ressaltando que sem ela não se passa o bastão para as novas gerações. Amira Aharonovitz, CEO da Agência Judaica, ressaltou a importância de promover a oportunidade deste intercâmbio com o Brasil. A mensagem de Merav Zarbib, responsável pela área de desenvolvimento do Ministério de Educação de Israel, também falou da relevância do evento e deste intercâmbio entre profissionais de ambos os países assim como a fala de Nestor Kirchuk, representante da Agência Judaica de Israel no Brasil, que frisou a importância da iniciativa,
As palestras de Iris Pinto, Ma Rivi Artsi, e Tal Sharir integraram este primeiro dia de programação.
Futurista que explora tendências em uma realidade em mudança na Educação, Iris Pinto falou sobre “Tendências globais nas mudanças sociais, econômicas, ambientais, educacionais e políticas”. Em sua exposição, ela conduziu os presentes sobre o que pode significar o futuro e discorreu sobre o Mundo Vuca, conceito que engloba as características de Volatilidade, Incerteza, Complexidade e Ambiguidade.
Ma Rivi Artsi, diretora da unidade de Pedagogia Orientada para o Futuro no Departamento de P&D, Escolas Experimentais e Inovações, Ministério da Educação de Israel e ex-desenvolvedora de modelos educacionais inovadores, ancorou sua palestra no tema Pedagogia Orientada para o Amanhã – Seis diretrizes para o planejamento de programas de educação em referência ao futuro. Ela falou sobre princípios pedagógicos orientados para o futuro. O modelo sistêmico de pedagogia, explicou ela, fornece uma bússola e estrutura prática para adaptar o sistema escolar a uma realidade vindoura.
Já Tal Sharir, diretora da Unidade de Regulação Dinâmica de escolas exclusivas do Departamento de P&D do Ministério da Educação de Israel, discorreu sobre “Como incentivar a inovação? Por que a inovação na pedagogia? Modelos e práticas escolares inovadoras”. Ela perguntou sobre qual seria a chave para a inovação, falou de quatro conceitos como Iniciativa, Inovação, Criatividade e Mudança e chamou a atenção para o fato de que qualquer um pode ser um empreendedor.
Após as palestras, os participantes integraram grupos de atividades com os facilitadores do Brasil, os educadores Mariana Gottfried, Rafael Bronz e rabino Moti Begun para discutir sobre os principais dilemas do educador neste momento de pandemia. O fechamento do dia foi realizado por Joice Niskier, especialista em Comunicação com foco no treinamento de líderes, que através de um exercício de relaxamento, demonstrou a importância de parar, de se fazer uma pausa nestes tempos em que estamos sobrecarregados pelas atividades digitais, estimulados pelas inúmeras horas passadas diante das telas de computador.
A Jornada é uma realização da Conib, da Agência Judaica para Israel e do Ministério da Educação de Israel. O programa continua nesta quarta (1).