Jovens lotam livraria em São Paulo para ouvir o depoimento de sobreviventes do Holocausto

A Livraria da Vila Shopping Higienópolis, em São Paulo, promoveu em novembro o 3º ciclo de palestras com sobreviventes do Holocausto. A curadoria do evento é de Marcio Pitliuk, escritor, cineasta e especialista no Holocausto, idealizador do filme “Marcha da Vida”.

Nas quatro palestras, o auditório esteve lotado, com pessoas de pé ou sentadas no chão, em sua maioria jovens – e não judeus. Professores de escolas públicas também vieram, alguns com alunos, e pediram para organizar eventos semelhantes nas escolas. Muitos ficaram surpresos ao saber que no Brasil há sobreviventes do Holocausto, e emocionadíssimos por poder conversar com eles.

“Ouvir o relato de uma testemunha ocular, conversar com um sobrevivente, poder fazer perguntas a quem viveu na pele essa imensa dor, não é tão fácil para um não judeu”, afirma Pitliuk. “Ao final, eles foram tratados como heróis, e jovens e adultos queriam tirar fotos ao lado deles”.

Deram seu depoimento Julio Gartner, que passou por cinco campos de trabalhos forçados, inclusive o de Plasow, mostrado no filme “A Lista de Schindler”; Nanette König, ex-colega de Anne Frank no colégio; Michel Dymetman, que autografou seu livro “Anos de lutas”; e Rita Braun, que no início da Segunda Guerra fugiu para a Rússia; depois, voltou à Alemanha, onde fingiu ser cristã para sobreviver.


Michel Dymetman, sobrevivente do Holocausto. Foto: Beto Baroukh.


Michel Dymetman autografa seu livro "Anos de Lutas". Foto: Beto Baroukh.