Divulgação

Livro revela acordo entre líderes judeus e o partido nazista para salvar vidas antes do Holocausto

Em seu livro “Haavara: O Acordo de Transferência”, Edwin Black, jornalista judeu americano e filho de sobreviventes do Holocausto, revela um dos episódios pouco conhecidos da história, no período anterior à Segunda Guerra Mundial, sobre “Haavara”, pacto entre judeus e o Terceiro Reich para salvar vidas e destinar recursos financeiros para a criação do Estado de Israel.

O acordo teria sido firmado anos antes do início do Holocausto entre líderes do movimento sionista e a alta cúpula do Terceiro Reich, logo que Hitler assumiu o poder na Alemanha, em janeiro de 1933.

Em entrevista publicada no site da TV Cultura no último dia 28, Edwin Black revelou que investigar o que aconteceu sempre foi uma missão de vida. “Sempre foi minha missão de vida, não apenas investigar o que aconteceu no Holocausto, mas por que e como aconteceu? Quem estava por trás disso? Quem foi implicado e quem saiu impune? Não apenas os puxadores do gatilho, mas aqueles que permitiram e fizeram acontecer”.

Ele explicou que o acordo permitiu a transferência de cerca de 60 mil pessoas, além de mais de 1 bilhão e 500 milhões de dólares (em valores atuais) para a Palestina Judaica. Pelo acordo, o emigrante pagava certa quantia em dinheiro e quando chegava à Palestina a recebia de volta para comprar produtos alemães. “Embora tenha sido o maior resgate do Holocausto, o procedimento dependia da compra e venda de produtos alemães, rompendo o boicote”, afirma o jornalista.

Ela afirma que soube do acordo no final da década de 1970 durante uma cobertura jornalística que não tinha relação com o tema, mas que, a partir daí, passou a investigar em arquivos internacionais. “Para mim, foi uma busca para aprender a história e provar que os judeus agiram para se salvar”.

Com publicação em 1984 nos Estados Unidos, o livro ganhou uma versão comemorativa em 2009, que trouxe ainda mais destaque para esse episódio. Ao falar sobre a produção, o autor explicou que “não é uma leitura fácil porque as pessoas descobrirão as escolhas impossíveis, de vida e morte que os judeus enfrentaram em todos os lugares”.

O livro recém-lançado no Brasil é a primeira tradução para uma língua não inglesa e a responsável pela publicação é a Idea Editora, que lançou outra obra do autor em 2018: Conexão Nazista: a História Revelada da Colaboração de Grandes Corporações Americanas com o Holocausto e a Alemanha de Hitler.