Mais de 150 foguetes são lançados de Gaza contra Israel, após morte de líder da Jihad islâmica

Mais de 150 foguetes e morteiros foram disparados de Gaza contra território israelense na manhã desta terça-feira, depois que um líder da Jihad Islâmica foi morto numa operação das Forças de Defesa de Israel (IDFs).

“Estamos preparados para vários dias de batalha com um escudo de defesa aérea, inclusive no centro do país”, disse o porta-voz das IDFs, Hidai Zilberman, a jornalistas na manhã de hoje.

As IDFs determinaram o fechamento de escolas no sul e no centro do país, incluindo a região metropolitana de Tel Aviv, enquanto grupos terroristas na Faixa de Gaza disparavam dezenas de foguetes contra cidades e vilarejos do país em retaliação pela morte do comandante da Jihad Islâmica Palestina Baha Abu al-Ata.

Segundo as IDFs, cerca de 160 foguetes e morteiros foram lançados da Faixa de Gaza contra o centro e sul de Israel desde 9h10 (hora local), O sistema de defesa antimísseis Iron Dome interceptou 60 desses projéteis, disseram os militares.

Trinta pessoas ficaram feridas nos ataques, entre elas um homem de 35 anos atingido perto da cidade de Gan Yavne. Uma menina de 8 anos está em estado grave no subúrbio de Holon, em Tel Aviv, depois de ter desmaiado durante um dos ataques.

Um drone israelense disparou contra dois terroristas da Jihad Islâmica Palestina que se preparavam para disparar foguetes contra Israel a partir do norte da Faixa de Gaza, informaram os meios de comunicação palestinos. Segundo o Ministério da Saúde de Gaza, dirigido pelo Hamas, um dos membros da Jihad Islâmica foi morto e o outro ficou ferido.

As IDFs confirmaram a informação, acrescentando que operação foi realizada para “remover a ameaça em andamento”. Esse foi o primeiro ataque de Israel na Faixa de Gaza, após a morte de Abu al-Ata.

O Comando da Frente Interna das IDFs ordenou o fechamento de todas as escolas e empresas não essenciais em cidades próximas à fronteira de Gaza: na região do Laquis; o Negev ocidental; o Negev central; e a região de Shfela.

Nas regiões Dan e Yarkon, as IDFs proibiram todas as reuniões públicas de mais de 300 pessoas. Hospitais e outros serviços de emergência foram colocados em alerta máximo diante dos contínuos ataques com foguetes.

O Aeroporto Internacional Ben Gurion não foi afetado. “O Aeroporto Ben Gurion está funcionando como de costume, sem alterações nos horários dos voos”, disse um porta-voz da Autoridade de Aeroportos de Israel.

“Estamos preparados para vários cenários, ofensivos e defensivos” disse hoje o porta-voz das IDFs Jonathan Conricus.

Ele disse que as IDFs enviaram mensagens ao Hamas, através de interlocutores, pedindo ao grupo terrorista que não participe dessa rodada de ataques.

“Estamos monitorando as atividades do Hamas e nossa resposta será à altura”, disse ele.