Memorial às Vítimas do Holocausto é inaugurado no Rio 

O Memorial às Vítimas do Holocausto Gerson Bergher foi inaugurado neste domingo (13), no Mirante do Pasmado, em Botafogo, Zona Sul. Com 1.624 metros quadrados, o monumento é uma homenagem às mais de 11 milhões de vítimas do nazismo durante a Segunda Guerra Mundial, fruto de uma parceria entre a Prefeitura do Rio, a Associação Cultural Memorial do Holocausto e a iniciativa privada.
O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, enviou mensagem, destacando sua satisfação com a inauguração em nome dos judeus e do Estado de Israel. Assista o video.

 

 

Estiveram presentes, entre outras autoridades, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, o governador em exercício Carlos Castro, o prefeito Marcelo Crivella e lideranças da comunidade judaica, como o primeiro e o segundo vice-presidente da Conib, respectivamente Daniel Bialski e Ary Bergher. O títular da Secom, Fábio Wajngarten, representou o presidente Jair Bolsonaro.
Bialski destacou: “É fundamental não esquecer jamais para que não se repita. Espero que o monumento seja um símbolo para as atuais e as próximas gerações, para conscientizar a todos que o antissemitismo, o antissionismo e o discurso de ódio não devem ter lugar no Brasil. Nossa comunidade está atenta, e a Conib e as Federadas estão em vigília permanente. Saudações ao vice-presidente Ary Bergher e família. A dedicação do seu pai, o saudoso Gerson Bergher”, está coroada nesse sonho que vocês conseguiram concretizar com gigante louvor”.
Bergher afirmou: “Esse sonho, que por 30 anos foi a razão de viver de meu pai, hoje se torna realidade. A mensagem que ele deixa para as novas gerações, e para a humanidade, é não à intolerância, amor ao próximo e que jamais essa brutalidade voltará a ocorrer com nosso povo”.
Em seu discurso, o presidente do STF, ministro Luiz Fux, destacou:
“Esse Memorial é para que não padeçamos do vício da indiferença e também para que manifestemos a nossa indignação com o Holocausto”.
Já o governador Castro, afirmou: “A inauguração desse monumento passa uma importante mensagem de respeito, amor e tolerância que é fundamental para a sociedade atual. Esse discurso de polarização, que é visto no mundo inteiro, principalmente na internet, gera ódio. E a história mostra onde isso pode chegar. Temos que recuperar a capacidade do diálogo”.
Alberto Klein, presidente da Associação Cultural Memorial do Holocausto, ressaltou que o local é um ponto de reflexão para todos. “O memorial não é só para o povo judeu, e sim para toda a sociedade”, afirmou.
O projeto do memorial foi escolhido em 1998, por meio de um concurso público nacional promovido pela Prefeitura do Rio e o Instituto dos Arquitetos do Brasil.
O idealizador foi o então vereador Gerson Bergher, já falecido. O monumento tem quase 20 metros de altura.
Instalado no Parque Yitzhak Rabin, o Memorial às Vítimas do Holocausto Gerson Bergher, segundo a direção, deverá oferecer programação educacional aos alunos das redes pública e privada e receber exposições nacionais e internacionais com temas que dizem respeito a defesa dos direitos humanos, tolerância e humanismo. A ideia é funcionar em cooperação com outras instituições do gênero, como os memoriais de Jerusalém, Washington e a Casa Anne Frank, em Amsterdã, na Holanda.