Netanyahu denuncia o Hezbollah na ONU por colocar em perigo a vida de libaneses ao armazenar armas em locais de risco

Em mensagem enviada à Assembleia Geral da ONU, o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu acusou nesta terça-feira (29) o grupo terrorista Hezbollah de manter depósitos secretos de armas perto de locais de armazenamento de combustíveis em Beirute, o que poderia causar uma nova tragédia como a que deixou dezenas de mortos e centenas de feridos na explosão de 4 de agosto.

Há muito tempo Israel acusa o Hezbollah, aliado do Irã, de transformar foguetes em mísseis de precisão em várias instalações no Líbano, especialmente em um local próximo ao aeroporto internacional de Beirute.

Em um discurso transmitido à Assembleia Geral da ONU, Netanyahu mostrou um mapa indicando o que ele chamou de “depósito de armas secretas” nos subúrbios ao sul de Beirute, um reduto do grupo xiita, próximo ao aeroporto. De acordo com o exército israelense, esses locais abrigam mísseis de alta precisão.

O primeiro-ministro israelense disse que um desses depósitos fica a poucos metros de uma empresa de gás e a cerca de 50 metros de “um posto de gasolina”.

Em referência à explosão de agosto em Beirute, Netanyahu alertou para a possibilidade de ocorrer “outra tragédia” em eventual explosão no suposto depósito de armas.

“Digo ao povo do bairro de Janah (sul de Beirute): é necessário agir agora, é preciso protestar, porque se esse negócio explodir será outra tragédia”, declarou Netanyahu em inglês.

“Digo ao povo do Líbano: Israel não quer prejudicá-los, mas o Irã sim. O Irã e o Hezbollah deliberadamente colocaram vocês e suas famílias em grave perigo”, acrescentou.

O jornal Jerusalem Post revelou que o uso de bairros residenciais e civis pelo Hezbollah para armazenar e fabricar armas pode desencadear sanções dos EUA contra o grupo terrorista por usar escudos humanos. A informação foi dada, segundo o jornal, por especialistas após o discurso de Netanyahu dirigido à Assembleia Geral da ONU..

Os autores da “Lei de Sancionamento do Uso de Civis como Escudo Defensivo” de 2018, aprovada com apoio bipartidário, disseram que o discurso de Netanyahu indicou que o Hezbollah estava agindo sob a proteção da lei e os EUA deveriam sancionar o grupo por usar escudos humanos, o que é considerado crime em violação da Quarta Convenção de Genebra.

Em Beirute, o líder da organização libanesa reagiu acusando o primeiro-ministro israelense de “tentar mais uma vez colocar o povo libanês contra o Hezbollah”.

Em um discurso na televisão, Hassan Nasrallah convidou a imprensa a “ir ao local, verificar o que há lá e contar ao mundo inteiro que Netanyahu está mentindo”. “O Hezbollah não armazena foguetes no porto de Beirute ou perto de postos de gasolina”, disse.