Netanyahu diz que Israel terá mais quatro acordos de paz

Uma semana antes da eleição, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu anunciou que Israel está se preparando para fazer a paz com mais quatro países da região.

“Eu trouxe quatro acordos de paz e há mais quatro a caminho”, disse o premier em entrevista ao Ynet News.

Netanyahu disse que recebeu um telefonema de “um dos líderes da região” na noite de segunda-feira, e eles conversaram por 45 minutos.

O primeiro-ministro rejeitou as críticas de que ele não compareceu a um evento do Likud, o seu partido, em Ashkelon na noite anterior por causa de ameaças de lançamento de foguetes de Gaza. Ele explicou que estava falando com um líder da região, e que não tem boa recepção de sinal para falar de celular em seu carro blindado e, portanto, não poderia fazer a ligação no caminho para Ashkelon.

“Não quero que haja lançamentos (de foguetes) por minha causa e por causa de um evento político, mas não foi esse o motivo. Estávamos muito atrasados. Vou visitar Ashkelon e cuidaremos da segurança deles”, disse ele.

No ano passado, Israel normalizou as relações com os Emirados Árabes Unidos, Bahrein, Sudão e Marrocos. Acredita-se que vários países estão considerando seguir o exemplo, incluindo Níger, Mauritânia, Indonésia e outros.

Os laços entre Israel e a Arábia Saudita se estreitaram nos últimos anos, e Netanyahu se encontrou com o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, em novembro. Os dois cogitaram se reunir em Abu Dhabi na semana passada, mas a viagem de Netanyahu aos Emirados Árabes Unidos foi adiada devido a um imbróglio diplomático entre Israel e Jordânia.

Em entrevista à Ynet TV, Netanyahu falou sobre eleições e disse que não pretende fazer acordos com líderes de partidos árabes, incluindo Mansour Abbas, e confirmou que não haverá outro bloqueio em Israel por causa do coronavírus.

Ele insistiu que o Likud terá assentos suficientes no Knesset para formar uma coalizão de governo.

De acordo com as últimas pesquisas, o Likud ainda parece ser o maior partido com a previsão de conquistar 29 assentos no Knesset nas eleições de 23 de março. Mas, com os partidos Yesh Atid, de Yair Lapid, e Yamina, de Naftali Bennett, chegando perto nas pesquisas, o primeiro-ministro de Israel mais antigo pode não ter o suficiente para formar uma coalizão.

“Lapid é o candidato que receberá entre 20 e 25 cadeiras, ele é candidato a primeiro-ministro, embora tente esconder isso”, disse Netanyahu à Ynet.

“Minhas pesquisas indicam que teremos o suficiente (para formar um governo). Nossos eleitores reconhecem uma oportunidade histórica de ter um governo estável sob minha liderança que não dependerá de Lapid ou de rotatividade de comando”.

Netanyahu também falou sobre a pandemia de Covid-19 e lamentou as 6.000 mortes em Israel. “É um número alto, mas, ainda assim, é muito menos do que o registrado em outros países do nosso tamanho”, disse ele.

O premier garantiu que “não haverá outros bloqueios em Israel” e discordou das advertências de que novas mutações do vírus podem levar à volta das medidas restritivas”.

Foto: YONATAN SINDEL/FLASH90