Netanyahu saúda o primeiro voo comercial da Flydubai para Tel Aviv: “É o início de uma nova era!”

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu deu as boas-vindas nesta quinta-feira ao primeiro voo comercial da companhia aérea estatal Flydubai dos Emirados Árabes Unidos que pousou no Aeroporto Ben Gurion.

“Este é um momento histórico porque é o primeiro voo comercial entre Dubai e Israel”, disse ele logo após o voo número FZ1163 pousar em Tel Aviv.

“Haverá muitos mais, indo em ambas as direções. Mas o primeiro só acontece uma vez”, disse ele em uma cerimônia de boas-vindas no saguão de desembarque. “E este é um momento importante, porque estamos mudando a história. E não estamos apenas caminhando em direção ao futuro, estamos voando, com velocidade vertiginosa, para uma nova era que agora está mudando as relações no Oriente Médio”. “Para mim, é a realização de um sonho”, completou.

Respondendo às perguntas de um repórter sobre quando os israelenses poderão voar para a Arábia Saudita, o primeiro-ministro observou que as companhias aéreas israelenses já estavam cruzando o espaço aéreo saudita em seu caminho para o leste.

“Acredito que o círculo de normalização continuará a se expandir”, disse ele. “Digo isto com muita confiança. Nada é 100% garantido, mas acho que, se tivesse que olhar para frente, diria que nos próximos meses veremos outros países que se juntarão a este círculo, de uma forma ou de outra, em um grau ou outro. Isso não pode mais ser interrompido”.

Shmuel Zakay, o diretor-geral do Aeroporto Ben Gurion, disse estar impressionado com o profissionalismo da equipe da Flydubai e espera que a decisão da empresa de voar para Israel seja bem-sucedida.

“Flydubai servirá como uma ponte de aviação, conectando os povos, negócios e culturas do Estado de Israel e dos Emirados Árabes Unidos”, disse ele.

Os Emirados Árabes Unidos assinaram em setembro um acordo mediado pelos Estados Unidos para formalizar as relações com Israel, o primeiro acordo desse tipo por um estado árabe do Golfo.

Com suas economias duramente atingidas pela pandemia de coronavírus, os Emirados Árabes Unidos e Israel esperam dividendos rápidos do acordo de normalização, incluindo um influxo de turistas enquanto Dubai entra em sua alta temporada de inverno.

“O início dos voos programados contribuirá para o desenvolvimento econômico e criará mais oportunidades de investimento”, disse o CEO da Flydubai, Ghaith al-Ghaith, quando o serviço foi anunciado no início deste mês.

A companhia aérea de Dubai fará a rota duas vezes ao dia, e as companhias aéreas israelenses El Al e Israir devem lançar seus serviços comerciais entre as cidades no próximo mês.

A Etihad Airways, com sede na capital dos Emirados Árabes Unidos, Abu Dhabi, disse que começará a voar para Tel Aviv em março de 2021.

Os Emirados Árabes Unidos se tornaram o terceiro país árabe a normalizar os laços com Israel, depois do Egito em 1979 e da Jordânia em 1994.

Os dois países já assinaram tratados sobre viagens sem visto – embora ainda não tenham entrado em vigor – junto com acordos sobre proteção de investimentos, ciência e tecnologia.

Bahrein e Sudão seguiram o exemplo e normalizaram laços com Israel.

Os acordos quebraram um consenso árabe de muitos anos de que não deveria haver normalização com Israel até que seja alcançado um acordo de paz com os palestinos.

Vários países do Golfo Árabe há anos vêm construindo discretamente relações com Israel com base na animosidade compartilhada com o Irã, com os EUA apoiando o processo.

A Arábia Saudita até agora se absteve de formalizar laços com Israel, mas deu luz verde para sobrevoos do Estado judeu, em um sinal implícito de aprovação.

Depois que o acordo dos Emirados Árabes Unidos foi anunciado pelo presidente dos EUA, Donald Trump, em agosto, a El Al transportou uma delegação de autoridades americanas e israelenses – liderada pelo genro de Trump, Jared Kushner – para Abu Dhabi em iniciativa histórica nas relações entre os dois países.

Isso foi seguido por uma visita oficial de uma delegação dos Emirados Árabes Unidos a Tel Aviv, bem como uma série de voos charter transportando grupos empresariais.