Nova explosão misteriosa deixa áreas de Teerã sem energia

A mídia iraniana relatou uma nova explosão no oeste de Teerã nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira, fazendo com que a eletricidade fosse cortada nos subúrbios vizinhos. É a mais recente de uma série de explosões misteriosas que vem abalando o país.

A agência oficial de notícias IRIB informou sobre a explosão, citando relatos online de moradores. Algumas áreas de Teerã sofreram quedas de energia após o incidente, segundo a reportagem.

No entanto, as autoridades locais, mais tarde, levantaram dúvidas sobre os relatos.

Um membro do Parlamento iraniano, Hossein Haghverdi, negou que qualquer explosão desse tipo tenha ocorrido, dizendo que a queda de energia aconteceu devido a um problema em uma usina próxima, segundo o New York Times.

O prefeito de uma cidade vizinha, no entanto, confirmou que houve uma explosão, mas disse que veio de uma fábrica que enche cilindros de gás.

Além disso, uma autoridade iraniana, citada pela Al-Jazeera, afirmou que a explosão foi desencadeada intencionalmente para projetos de escavação de túneis na área.

Fotografias que parecem mostrar a explosão e que circulavam pelas mídias sociais também foram vistas mais tarde como imagens de ataques israelenses na Faixa de Gaza, não no Irã.

A localização exata da explosão não foi esclarecida imediatamente, mas um analista disse ao The New York Times que havia instalações militares subterrâneas na área.

“Existem duas instalações subterrâneas, um local associado à pesquisa de armas químicas e um local de produção militar não identificado”, disse Fabian Hinz, do Centro de Estudos de Não-Proliferação de Armas James Martin.

A explosão ocorreu depois que uma série de outras ocorrências semelhantes atingiram locais sensíveis do Irã nas últimas semanas, levando a especulações de que os incidentes poderiam ser resultado de uma campanha de sabotagem arquitetada por Israel.

Na terça-feira, uma explosão danificou uma fábrica ao sul de Teerã. Segundo relatos da mídia iraniana, duas pessoas morreram e três ficaram feridas na explosão na fábrica de Sepahan Bresh, no distrito de Kahrizak.

O governador da área disse que o incidente foi ocasionado por falha humana.

Uma explosão teria danificado uma usina na cidade iraniana de Ahvaz no sábado. Poucas horas depois, a Agência de Notícias da República Islâmica disse que um vazamento de gás cloro em um centro petroquímico no sudeste do Irã afetou 70 trabalhadores.

Em 2 de julho, uma outra explosão danificou a instalação nuclear de Natanz, no Irã, e uma semana antes, outra grande explosão foi sentida em Teerã, aparentemente causada por uma outra misteriosa ocorrência no complexo militar de Parchin, que os analistas de defesa acreditam possuir um sistema de túneis subterrâneos e instalações de produção de mísseis.

Um oficial de inteligência do Oriente Médio foi citado, no domingo, pelo The New York Times, dizendo que a explosão seguida de incêndio que danificou um prédio usado para produzir centrífugas em Natanz foi provocada por Israel e causada por uma bomba poderosa.

Mas a autoridade não identificada disse que Israel não estava ligado aos vários outros incêndios misteriosos recentes ocorridos no Irã na semana passada.

O Irã pediu na terça-feira uma ação contra Israel após os danos às instalações de Natanz.

“Este método que Israel está usando é perigoso e pode se espalhar para qualquer lugar do mundo”, disse o porta-voz do governo Ali Rabiei durante uma entrevista coletiva.

Ele acrescentou: “A comunidade internacional deve responder e estabelecer limites para essas ações perigosas do regime sionista”.

Seus comentários foram feitos quando o Irã pareceu reconhecer publicamente na terça-feira que o incêndio da semana passada em Natanz, que danificou seriamente um prédio usado para produzir centrífugas, não foi um acidente. As reportagens da TV israelense, sem mencionar as fontes, disseram que a explosão destruiu o laboratório no qual o Irã desenvolveu centrífugas mais rápidas e atrasou o programa nuclear iraniano em um ou dois anos.