Novo Knesset começa a tomar posse de forma escalonada em meio ao avanço do coronavírus

O novo Knesset (Parlamento israelense) começou a tomar posse hoje em meio a rigorosas restrições por causa do surto de coronavírus.

Em vez da tradicional cerimônia de posse dos 120 membros do Parlamento, os novos parlamentares assumiram o plenário em esquema escalonado de grupos de três em 40 rodadas, de modo a cumprir as diretrizes do Ministério da Saúde de limitar as reuniões públicas a no máximo dez pessoas por vez. O presidente Reuven Rivlin, presidiu o evento incomum após o Parlamento passar por completa desinfecção.

O evento, ocorrido duas semanas após as eleições nacionais, dará ao país uma nova legislatura. Mas Israel ainda parece muito longe de estabelecer um governo estável.

Hoje cedo, Rivlin designou formalmente ao líder da oposição Benny Gantz a tarefa de formar uma coalizão depois de ele ter garantido uma pequena maioria de 61 parlamentares.

Mas, além de um desejo comum de ver afastado o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, o bloco de apoiadores de Gantz tem muito pouco em comum. É profundamente dividido em linhas ideológicas e parece improvável que se unam para um governo alternativo que possa substituir o de Netanyahu.

O Likud de Netanyahu emergiu como o maior partido nas eleições de 2 de março, a terceiro de Israel em menos de um ano, mas junto com seus aliados religiosos e nacionalistas só conta com o apoio de 58 parlamentares – o que deixa seu bloco de direita três cadeiras a menos do que o necessário para obter a maioria no Parlamento. Ele também enfrenta sérios problemas legais enquanto se prepara para ir a julgamento para enfrentar acusações de corrupção.

Netanyahu enfrenta acusações de fraude, quebra de confiança e suborno em conexão com uma série de escândalos. Ele é acusado de receber presentes caros de amigos ricos e se oferecer para trocar favores com poderosos magnatas da mídia. O líder israelense de longa data nega qualquer irregularidade e diz que é vítima de uma caça às bruxas orquestrada pela mídia.

Durante o período de transição, espera-se que seu partido Azul e Branco nomeie um de seus membros como presidente do Parlamento e aprove uma legislação que impeça parlamentar indiciado de formar um novo governo. Essa legislação impediria as chances de Netanyahu conseguir imunidade parlamentar e de participar de eleição, se o país for forçado a ir a uma quarta votação.