Novos casos diários de Covid-19 chegam a 1.800 e Israel decide adotar o toque de recolher noturno a partir de amanhã

O Gabinete de Coronavírus votou a favor da implantação do toque de recolher noturno a partir desta quarta-feira (9), depois que o número de casos nesta segunda-feira passou de 1.800.
O Ministério da Saúde informou nesta terça-feira que foram registrados 1.837 novos casos de Covid-19 – maior número em quase dois meses -, elevando o número total de infecções desde o início da pandemia para 347.331.
Conforme o número de casos continuava a aumentar em todo o país, na noite desta segunda-feira, os ministros votaram para impor um toque de recolher noturno durante o feriado de Hanukkah e até 2 de janeiro. O toque de recolher de três semanas começará nesta quarta-feira, um dia antes do feriado.
A medida ainda deve ser submetida à aprovação do Knesset, mas, diante do aumento do número de casos, tudo indica que será aprovada.
O que se confirma é que os serviços essenciais permanecerão abertos durante o toque de recolher.
Além disso, o gabinete aprovou a manutenção de shoppings e mercados abertos de acordo com as regras do plano piloto – exceto nas cidades classificadas como vermelhas – e a manutenção do sistema de ensino. O gabinete também aprovou a continuação do programa de “ilhas verdes” em Eilat e no Mar Morto.
“Tenho o prazer de anunciar que o gabinete do coronavírus aprovou hoje a manutenção das ilhas turísticas verdes em Eilat e no Mar Morto, depois de apresentar dados sobre seu sucesso”, disse o ministro do Turismo, Orit Farkash-Hacohen. “É um plano equilibrado e especial que nos permite viver ao lado do coronavírus e que dá sustento a milhares de trabalhadores”.
Será permitida a atuação cuidadosa e limitada nos museus do país e em eventos culturais, de acordo com acordos firmados entre os ministérios da Saúde e Cultura e do Esporte.
Além disso, o teste do coronavírus será exigido para todas as pessoas que retornam ao país do exterior, e especialmente para aqueles que chegam de países vermelhos. Qualquer pessoa que não fizer o teste será obrigada a entrar em um hotel de coronavírus.
Especialistas alertaram que o toque de recolher noturno fará pouco para conter a propagação do vírus. O professor Arnon Afek, membro do painel de profissionais que assessora o chamado gabinete do coronavírus, disse que, embora seja razoável tentar a medida, há poucas esperanças de ela alcançar o resultado desejado.