Número de infecções por Covid-19 cai e Israel reabre escolas

O número de novos casos diários de coronavírus caiu pelo terceiro dia consecutivo nesta quarta-feira em Israel, e a mesma queda foi registrada entre os pacientes gravemente enfermos..

Ainda assim, apesar de um bloqueio nacional de semanas e um programa de vacinação em massa, as taxas de infecção permaneceram altas, com as autoridades de saúde culpando as novas mutações do vírus pela difícil redução dos números.

Segundo os números do Ministério da Saúde divulgados nesta quinta-feira 5.540 novos casos foram detectados no dia anterior. O número foi o menor em mais de um mês, um pouco mais do que os 5.519 registrados em 28 de dezembro.

O número de pacientes gravemente enfermos caiu para 1.027, o mais baixo desde 9 de janeiro, quando havia 1.006.

A ligeira tendência de queda veio quando Israel estava na quinta semana de seu terceiro bloqueio para conter a disseminação do vírus, junto com um programa de vacinação em massa.

Desde o início do surto no começo do ano passado, houve 711.981 casos de Covid-19 diagnosticados em Israel. São 67.808 casos ativos, segundo dados do ministério. O número de mortos é de 5.265.

A taxa de teste positivo do vírus divulgada na quarta-feira foi de 7,5%, a menor desde 16 de janeiro.

O ministro da Saúde, Yuli Edelstein, pediu à população que se vacine, prometendo benefícios para os vacinados.

“Vamos incentivar os vacinados com a concessão do passaporte verde”, tuitou, referindo-se ao documento concedido aos vacinados e que dá acesso a locais e serviços públicos não disponíveis para os que não foram imunizados.

“Vá e se vacine, isso protegerá não só você mas também aqueles ao seu redor, e também permitirá que você volte mais rapidamente a ter uma vida normal”, escreveu ele.

Edelstein disse que na quarta-feira, 140.000 doses da vacina foram administradas em centros de todo o país.

Até agora, 3.685.515 pessoas receberam pelo menos a primeira das duas doses da vacina da Pfizer/BioNTech que Israel está usando, com 2.326.783 recebendo a segunda – quase um quarto de toda a população.

Também nesta quinta-feira, cerca de 20 por cento dos alunos de Israel voltaram às aulas em áreas com níveis baixos a médios de infecção por coronavírus.

Enquanto isso, a polícia alertou que aplicará com rigor as restrições, já que dezenas de empresas em pelo menos três shoppings anunciaram planos de reabertura desafiando as regras de saúde.

Embora algumas restrições de bloqueio tenham sido suspensas no início do mês, grande parte do sistema educacional permanece fechado, junto com a maioria dos negócios não essenciais.

Foto: Avshalom Sassoni/Flash90