Partido Trabalhista se junta ao Meretz para apoiar Yair Lapid como próximo primeiro-ministro de Israel

O Partido Trabalhista e o Meretz anunciaram que apoiarão o líder do Yesh Atid, Yair Lapid, na tarefa de formar o próximo governo.

A chapa centrista de Lapid tem mais apoio do que qualquer outro bloco que se opõe ao primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.

“Vamos recomendar Yair Lapid, achamos que ele pode liderar uma coalizão”, disse à Rádio do Exército Nachman Shai, ex-parlamentar e candidato de número 8 na chapa eleitoral do Partido Trabalhista. “Para nós, (Lapid) é o líder do bloco”.

Na segunda-feira, o presidente do Meretz, Nitzan Horowitz, se tornou o primeiro líder do partido a declarar abertamente que recomendaria Lapid como primeiro-ministro.

“Eu o vejo como o líder do maior partido do nosso bloco com as melhores chances de formar um governo. Faremos parte do governo com ele (no comando)”, disse Horowitz ao site de notícias Ynet.

Questionado se o Meretz desistiria da disputa, já que as pesquisas mostram que o partido de esquerda está sempre próximo do limiar eleitoral, ele afirmou que não. “É estratégico votar no Meretz para evitar que Netanyahu forme um governo estritamente de direita”, acrescentou Horowitz.

Após as eleições, o líder de cada partido eleito para o Knesset é convidado pelo presidente a recomendar sua escolha para primeiro-ministro. O presidente então faz uma seleção, com base nessas recomendações, de quem está em melhor posição para formar e liderar uma coalizão governamental, normalmente um candidato recomendado por pelo menos 61 parlamentares.

A declaração pública dos dois partidos parece ser parte de uma estratégia para impedir que os eleitores mudem seu apoio para o Yesh Atid.

Lapid ainda enfrenta uma batalha difícil, se conquistar as 20 cadeiras em comparação com quase 30 do Likud. Mesmo que o bloco anti-Netanyahu ganhe a maioria das cadeiras, o líder do Yesh Atid enfrentará dificuldades para convencer partidos de esquerda, como o Meretz, e de direita, como o Yamina, de Naftali Bennett, a se unirem na mesma coalizão.

Depois de se abster de dizer isso abertamente na semana passada, o líder do Azul e Branco, Benny Gantz, disse ao Canal 12 nesta segunda-feira que estava de fato preparado para apoiar Lapid como primeiro-ministro. No entanto, ele destacou que apoiará qualquer candidato que possa provar após a eleição que tem apoio suficiente para formar uma coalizão em substituição a Netanyahu – seja Lapid, ou o líder de Yamina, Naftali Bennett, ou Gideon Sa’ar da Nova Esperança.

Sa’ar caiu para o quarto lugar nas últimas pesquisas, com a previsão de conquistar apenas nove assentos. No entanto, ele disse ao Canal 12 nesta terça-feira que ainda se vê como candidato a primeiro-ministro e que formará o próximo governo se o bloco pró-Netanyahu não receber a maioria de pelo menos 61 cadeiras na votação do dia 23.

Foto: Miriam Alster/Flash90