“Perda icônica reacende discussão: como educar sem sobreviventes?”

O Coordenador-geral do Museu do Holocausto de Curitiba, Carlos Reiss, publicou artigo, nesta quarta (13), no jornal paranaense Plural em que aborda o momento crucial em que vivemos com o desaparecimento de sobreviventes do Holocausto e o desafio de educar as futuras gerações sobre os crimes do passado. “Nos aproximamos de um momento crucial na construção da memória universal desse genocídio: aquele em que as gerações futuras não mais terão a oportunidade de ouvir relatos e testemunhos cara-a-cara, ao vivo, de vítimas do Holocausto que reconstruíram suas vidas próximos de nós”, diz ele, ao citar a morte, na semana passada de Andor Stern, o único sobrevivente do Holocausto nascido no Brasil.

No artigo, Reiss afirma que existem ainda entre 350 mil e 400 mil sobreviventes vivos espalhados pelo mundo – cerca de 160 mil deles vivendo em Israel e que, no Brasil, os números sempre foram incertos e baseados em estimativas. Leia a íntegra do artigo em: https://www.plural.jor.br/colunas/holocausto-e-atualidade/perda-iconica-reacende-discussao-como-educar-sem-sobreviventes/