Pesquisas apontam nova eleição apertada em Israel

Na última pesquisa antes da eleição, a diferença entre o Likud, do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, e o Azul e Branco, de Benny Gantz, diminuiu e agora mostra os dois candidatos empatados.

A três dias da eleição, pesquisa divulgada pelo jornal Haaretz mostra o bloco de direita mantendo o resultado de pesquisas anteriores com 57 cadeiras no Knesset, enquanto o bloco de centro-esquerda e a Lista Conjunta projetam reunir 56 assentos.

Os israelenses devem ir às urnas na segunda-feira pela terceira vez em um ano e com a previsão de resultados semelhantes aos de eleições anteriores. O Likud, de Netanyahu, e o Azul e Branco, de Benny Gantz, deverão empatar em 33 cadeiras do Knesset cada, de acordo com a última pesquisa eleitoral publicada nesta sexta-feira pelo diário israelense Yisrael Hayom, i24NEWS e Maagar Mochot.

De acordo com essa pesquisa, o partido de Netanyahu está diminuindo a vantagem que tinha sobre o Azul e Branco em avaliações anteriores.

Três pesquisas de opinião anteriores divulgadas ontem e hoje mostravam que o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e seu partido Likud mantinham uma ligeira vantagem sobre o rival Azul e Branco, de Gantz, mas nenhum dos dois liderava um bloco com maioria no Knesset.

Uma pesquisa da emissora pública Kan deu ao Likud 35 cadeiras e 34 para o Azul e Branco. Outra pesquisa, do Israel Hayom, previa 33 assentos para o Likud e o mesmo número para o Azul e Branco, enquanto uma terceira pesquisa, do jornal Maariv, dava 34 cadeiras a cada um dos partidos. O Azul e Branco conquistou 33 cadeiras e o Likud 32 nas eleições de setembro.

Netanyahu lidera um bloco de partidos de direita e religiosos que ganhariam 58 assentos, em comparação com os 56 previstos para Benny Gantz, que está à frente de um grupo de partidos de centro-esquerda-árabe, de acordo com os resultados de Kan. Israel Hayom deu 57 assentos ao bloco de Netanyahu e 56 para Gantz, assim como a enquete do Maariv. Uma coalizão governista precisa de pelo menos 61 cadeiras, a maioria dos 120 assentos do Knesset.

Os resultados das pesquisas mostram que pode se repetir o impasse político que está levando a esta terceira eleição em 11 meses, já que os eleitores que deixaram de apoiar o Azul e Branco, ou se uniram ao Likud, pareciam estar fazendo o mesmo com relação a outros partidos dentro de seus respectivos blocos políticos.

De acordo com as pesquisas, os demais partidos mantêm posições semelhantes às registradas em avaliações anteriores, com alguns perdendo ou ganhando um ou outro assento dentro de seus respectivos blocos.

A Lista Conjunta, uma aliança de partidos árabes, conquistou 14 cadeiras nas pesquisas de Kan e Israel Hayom e 13 na pesquisa de Maariv.

A aliança de esquerda Labor-Gesher-Meretz obteve oito ou nove assentos nas pesquisas, o bloco Yamina, de partidos nacionalistas religiosos, ficou com sete ou nove assentos, o Shas obteve oito e o partido ultraortodoxo Judaísmo Unido da Torá sete ou oito assentos.

De acordo com as pesquisas, Avigdor Liberman, líder do Yisrael Beytenu (Israel Nossa Casa), ainda mantém o poder de decidir a eleição, com a pesquisa da emissora Kan dando a ele seis cadeiras (no Knesset) e as outras duas enquetes sete assentos, o suficiente para dar maioria a qualquer um dos dois principais blocos.

No entanto, Liberman já anunciou que não quer fazer parte de uma coalizão com a Lista Conjunta. O Azul e Branco também afirmou repetidas vezes que não pretende formar um governo com a Lista Conjunta. Sem a lista conjunta, porém, o bloco de Gantz ficaria com, no máximo, 50 assentos, mesmo com o apoio de Liberman. O líder do Israel Beytenu também já disse que não pretende apoiar Netanyahu.

Nenhuma das pesquisas deu ao partido de extrema-direita Otzma Yehudit mais de 1,6%, muito abaixo dos 3,25% necessários para entrar no Knesset.

Questionados sobre quem seria o mais indicado para o cargo de primeiro-ministro, 45% dos entrevistados se manifestaram a favor de Netanyahu na pesquisa da Kan e apenas 34% votaram em Gantz. Na pesquisa do Israel Hayom, 49% apoiaram Netanyahu e 35% apoiaram Gantz, enquanto Maariv também deu a Netanyahu 45% e 36% para Gantz.

Entre os eleitores do Likud, 42% disseram que a liderança de Netanyahu é a principal razão pela qual votam no partido. Entre os eleitores do Azul e Branco, 28% baseiam a escolha como forma de impedir a vitória do bloco de direita e 26% disseram que apoiariam Gantz como primeiro-ministro.

Cerca de 38% acreditam que haverá uma quarta rodada de votação, enquanto 31% acham que um governo de direita será estabelecido desta vez e apenas 9% acham que haverá um governo de esquerda.

A pesquisa por telefone e pela internet da Kan foi realizada pela Kantar e incluiu 1.206 pessoas com uma margem de erro de 2,9%. A pesquisa de Israel Hayom, conduzida por Maagar Mochot, entrevistou 1.040 pessoas com uma margem de erro de 3%.

A pesquisa da Panel4all na Internet realizada pelo Maariv incluiu 534 pessoas. Esta última avaliação não forneceu a margem de erro.