Policial e 13 soldados israelenses são feridos em três ataques terroristas em Jerusalém

Um policial e 13 soldados israelenses ficaram feridos em três ataques terroristas hoje pela manhã em Jerusalém.

No início da manhã, um policial de fronteira foi ferido a tiros em ataque perto do Monte do Templo, na Cidade Velha de Jerusalém, poucas horas depois de 12 soldados israelenses terem sido feridos em ataque com atropelamento na cidade.

Outro soldado israelense foi ferido em ataque a tiros perto do assentamento de Dolev, na Cisjordânia, no terceiro ataque contra tropas israelenses em menos de 12 horas.

O soldado ficou levemente ferido no ataque a tiros contra um posto militar. O agressor fugiu.

No início da manhã, um policial de fronteira ficou levemente ferido em um ataque perto do Monte do Templo, na Cidade Velha de Jerusalém. Segundo a polícia, um homem atirou com uma pistola de 9 mm contra policiais que montavam guarda em torno do Monte do Templo, ferindo um deles. Relatos não confirmados da mídia hebraica disseram que o homem, da região de Haifa, havia se convertido recentemente ao Islã. O terrorista foi morto por outros policiais que estavam no local.

O policial de 38 anos foi levado para o hospital Shaare Zadek com ferimentos a bala na mão.

Horas antes, um grupo de soldados foi atingido por um carro em alta velocidade perto da Primeira Estação, um local de entretenimento popular na rua David Remez da cidade.

O porta-voz das IDFs, brigadeiro-general Hildai Zilberman, disse que eles estavam andando na calçada quando o veículo veio por trás e os atingiu. Os soldados não tiveram tempo de reagir e o motorista do veículo conseguiu fugir.

Horas depois, o carro foi encontrado abandonado em Beit Jala, cidade palestina na Cisjordânia. Até esta edição, o agressor continuava foragido.

Um dos soldados atingidos está em estado grave, e os outros 11 tiveram ferimentos leves, de acordo com o jornal Haaretz.

Também na Cisjordânia, soldados israelenses reagiram contra manifestantes na cidade de Jenin, matando um palestino de 19 anos e deixando outros sete feridos.

O grupo protestava contra a demolição da casa de um homem acusado de terrorismo.

A tensão segue elevada na região desde que o presidente americano, Donald Trump, anunciou na semana passada um plano para o conflito israelo-palestino.

A facção palestina Hamas, que controla a faixa de Gaza, comemorou o ataque em Jerusalém, dizendo se tratar de uma “resposta” ao plano patrocinado pelos Estados Unidos.