Rabinos fazem apelo para que judeus se unam em orações no “Grande Shabat” antes de Pessach

Como parte de uma campanha chamada #KeepingItTogether, rabinos-chefes de todo o mundo fizeram um apelo à comunidade judaica global para que se mantenha conectada em orações neste “Grande Shabat” que antecede Pessach, para diminuir o impacto da pandemia sobre a humanidade.

“Nas últimas semanas, testemunhamos em primeira mão a devastação que o coronavírus pode causar”, disse o rabino-chefe de Roma, Riccardo Di Segni. “Somos abençoados por ter o Shabat e, quanto mais especiais pudermos fazer por nós e nossas famílias, mais força obteremos para combater esse vírus”.

Em uma carta aberta, a coalizão de líderes judeus incentiva as organizações judaicas a “trabalharem juntas” e convoca os judeus a fazerem três coisas: ligar ou enviar mensagens entre si com palavras de apoio antes do Shabat, orar pelas pessoas doentes e por toda a humanidade antes do acender das velas, e celebrar este Shabat juntos.

Na carta, os rabinos também pedem aos judeus que “sigam – com total compromisso – os protocolos de saúde e segurança estabelecidos por seus respectivos países”. A carta é assinada por 11 rabinos-chefes e “é a primeira vez que houve um chamado conjunto de rabinos-chefes nesse nível”, segundo o rabino-chefe Warren Goldstein, da África do Sul.

“A natureza sem precedentes da crise que o coronavírus causou requer uma demonstração sem precedentes de unidade”, disse ele.

Os 11 rabinos principais que assinam a carta são de Israel, França, Rússia, Reino Unido, Argentina, África do Sul, Moscou, Roma, Bruxelas, bem como os da Conferência de Rabinos Europeus.

O objetivo desse movimento é emergir desse “tempo terrivelmente desafiador juntos”, diz Goldstein. “Esta aliança de rabinos continuará trabalhando junta para tornar o mundo um lugar melhor”, diz a mensagem..

“Na Itália, nossa comunidade está de luto e muitas pessoas estão doentes. Precisamos nos apoiar para encontrar uma maneira de atravessar esta crise. Exorto todos os judeus a apoiarem suas comunidades e aproveitar esta oportunidade para estender a mão e mostrar solidariedade uns aos outros e à toda humanidade”, disse Di Sengi.