Repórter da Globo testemunha de perto quebra da trégua pelo Hamas e foge de míssil


Rodrigo Alvarez, pouco antes de se lançar ao chão. Reprodução/JN.

 

Às 9h da manhã (horário local) desta terça, 15 de julho, o governo israelense votou pelo cessar-fogo proposto pelo Egito. Os militares receberam ordens para suspender os ataques.



Rodrigo Alvarez testemunhou, no Jornal Nacional: “Na fronteira, ao lado de onde a artilharia israelense disparava bombas contra Gaza, o bombardeio parou”.


No entanto, prossegue o repórter, "pouco antes das 10h da manhã, as sirenes voltaram a soar em Israel. Mais de 20 foguetes caíram em cidades do sul. Um deles, a poucos metros de onde a nossa equipe estava”.



Às 11h03, Alvarez ouviu um zunido forte se aproximando, seguiu as instruções e se atirou ao chão.

 

Bem perto dele, caiu um foguete em uma fábrica, cujo telhado foi destruído. Não havia ninguém dentro. Depois de mais de 50 foguetes lançados de Gaza, às 3h da tarde, Israel entendeu que não podia continuar a trégua.

 

ASSISTA.

 

Leia texto sobre as origens e consequências do conflito em Gaza.