Reunidos em Genebra, representantes de 43 nações se comprometem a combater o antissemitismo 

Liderados pela Áustria, República Checa e Eslováquia, representantes de 43 países se comprometeram a combater o antissemitismo em uma declaração especial divulgada durante a 48ª sessão do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas em Genebra, de acordo com matéria de Tovah Lazaroff, no Jerusalem Post. “Continuaremos firmes em nossa promessa: nunca mais”, disse o ministro austríaco das Relações Exteriores, Alexander Schallenberg, ao divulgar um vídeo especial em que aborda o perigo do antissemitismo. “Mesmo 75 anos após o fim da Segunda Guerra Mundial, é uma realidade trágica que o antissemitismo ainda persista”. “Esse veneno ainda existe, bem no meio de nossas sociedades. É por isso que hoje declaramos nossa solidariedade inequívoca diante do ódio. E reafirmamos nosso compromisso de combater o antissemitismo e todas as formas de racismo, preconceito e discriminação em qualquer lugar, a qualquer hora”, afirmou Schallenberg, Os países que assinaram a declaração incluem: Israel, Alemanha, Estados Unidos, Bósnia e Herzegovina, Honduras, Montenegro, Macedônia do Norte, Bulgária, Austrália, Reino Unido, Grécia, Bélgica, Chipre, Ucrânia, Camarões, Japão, Eslovênia, Argentina, Armênia, Croácia, Finlândia, Nova Zelândia, Guatemala, Colômbia, Chile, Polônia, Moldávia, Holanda, Letônia, Romênia, Seychelles, Lituânia, Estônia, Uruguai, Noruega e Suécia.