Rivlin recomenda a Gantz não formar governo minoritário dependente de partidos árabes

Faltando poucos dias para o fim do prazo para a formação do novo governo, o presidente Reuven Rivlin recomendou ao líder do Azul e Branco, Benny Gantz, não formar uma coalizão minoritária dependente do apoio de partidos árabes, segundo informou a emissora pública Kan.

Fontes que participaram de reunião, no sábado, na residência do presidente, disseram que Rivlin não se opôs, em princípio, a uma aliança com a Lista Conjunta, mas deixou claro o seu receio de que uma coalizão minoritária não possa funcionar, além de pouco contribuir para reparar as diferenças na sociedade israelense.

Durante sua reunião com Gantz, Rivlin pediu um governo de ampla unidade com o partido Likud, do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu. Gantz e seu partido se recusaram a comentar o que foi discutido no encontro, mas a emissora pública disse que o líder do Azul e Branco provavelmente evitaria apoiar abertamente um governo minoritário diante da oposição do presidente.

No mês passado, Rivlin encarregou Gantz de formar uma coalizão depois que Netanyahu não conseguiu completar a missão após as eleições de setembro, que deixaram tanto o Azul e Branco como o Likud sem maioria no Knesset para formar um novo governo.

As negociações fracassaram com a insistência de Netanyahu e de seus parceiros religiosos de direita em negociar como um bloco conjunto, uma condição rejeitada pelo Azul e Branco, e com a decisão de Gantz de não participar de um governo com o líder do Likud, enquanto ele enfrenta acusações de corrupção.