Sudão manifesta interesse em acordo com Israel e já admite negociações para normalizar relações

O Sudão manifestou nesta terça-feira interesse em um acordo de paz com Israel, dizendo que um tratado criando laços diplomáticos entre Jerusalém e Cartum poderia ser assinado até o final do ano ou no início de 2021.

O anúncio foi imediatamente saudado pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, que se encontrou com o líder de transição do Sudão no início deste ano, em um avanço diplomático após anos de inimizade.

A declaração do Sudão veio dias depois que os Emirados Árabes Unidos decidiram estabelecer laços diplomáticos com Israel, gerando especulações sobre qual país árabe seria o próximo a transformar seus laços secretos com o Estado judeu em reconhecimento aberto.
O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Sudão, Haidar Badawi Sadiq, disse à Sky News Arabia nesta terça-feira que o Sudão “aspira a um acordo de paz com Israel, em uma relação de iguais construída sobre os interesses de Cartum”.

“Não há razão para a inimizade continuar”, disse Sadiq. “Não negamos a comunicação entre os dois países”.

“Tanto o Sudão quanto Israel se beneficiarão de tal acordo se ele for assinado, no final deste ano ou no início do próximo”, continuou ele, referindo-se à previsão do Ministro de Inteligência Eli Cohen de um acordo Sudão-Israel até o final de 2020.
Sadiq também elogiou o acordo para normalizar os laços entre os Emirados Árabes Unidos e Israel como “corajoso”.

Os países árabes há muito condicionam seu reconhecimento de Israel à formação de um Estado palestino e à renúncia dos territórios capturados em 1967. Mas o acordo dos Emirados Árabes Unidos parecia anunciar uma mudança dramática, por meio da qual a paz árabe-israelense poderia preceder um acordo com os palestinos. Com o Sudão, essa mudança ganharia peso simbólico, dado o papel de Cartum como o berço da política da Liga Árabe de 1967 — sem paz com Israel, sem reconhecimento de Israel e sem negociações com Israel.

Um alto membro da Organização para a Libertação da Palestina lamentou nesta terça-feira o interesse do Sudão na paz com Israel.
“Onde está o povo revolucionário do Sudão?” perguntou o alto oficial da OLP, Hanan Ashrawi.

Netanyahu aplaudiu o anúncio, dizendo: “Israel, Sudão e a região se beneficiarão de um acordo de paz e serão capazes de construir um futuro melhor juntos para todas as nações da região”.

“Faremos todo o necessário para tornar essa visão uma realidade”, acrescentou Netanyahu em comunicado divulgado por seu escritório na noite desta terça-feira.