Taxa diária de testes positivos de Covid ultrapassa 2% em Israel pela primeira vez desde março 

A taxa diária de testes Covid-19 positivos em Israel subiu acima de 2 por cento pela primeira vez desde março, de acordo com dados do Ministério da Saúde publicados na manhã desta segunda-feira e divulgados pelo Times of Israel.
Foram 1.398 novos casos identificados no domingo entre 67.676 testes, uma taxa de positividade de cerca de 2,07%. Além disso, 506 casos foram diagnosticados entre meia-noite e 10h desta segunda-feira.
Isso elevou o número de casos ativos para 11.606, depois que o número girava em torno de 200 a menos de seis semanas atrás.
O número de casos graves subiu para 108, dos quais 25 foram listados como em estado crítico.
O número total de mortes foi de 6.461, com o país registrando um total de 861.516 casos desde o início da pandemia.
A professora Galia Rahav, diretora da unidade de doenças infecciosas do Sheba Medical Center, disse à emissora pública Kan que o aumento de casos graves – eles chegaram a 19 no mês passado – era preocupante e exigia uma ação imediata, de acordo com a matéria.
“Precisamos convencer os não vacinados a se vacinarem”, disse ela. “Se alcançarmos imunidade de rebanho, evitaremos bloqueios no futuro”, alertou.
O número de pacientes com Covid em estado grave dobrou apenas nos últimos 10 dias, mas ainda é uma fração do pico visto durante a terceira onda, em janeiro, quando havia mais de 1.200 casos graves. Durante a segunda onda no outono, os casos graves atingiram um pico de 850 em outubro.
No início deste mês, o gabinete do coronavírus concordou que “o principal parâmetro” para instituir novas restrições de Covid seria a medida de casos graves. Na reunião de gabinete deste domingo, o primeiro-ministro Naftali Bennett prometeu continuar “mantendo a subsistência, a economia, a educação e a liberdade dos cidadãos israelenses” por meio do uso de máscaras e vacinas, em vez de instituir novos bloqueios.