Trinta e um países boicotarão a Conferência de Durban em protesto contra viés antissemita

Trinta e um países atenderam ao pedido de Israel e decidiram boicotar a Conferência Mundial de Durban sobre Racismo, por causa do viés antissemita adotado em encontros anteriores, de acordo com matéria no Times of Israel. O embaixador de Israel na ONU, Gilad Erdan, comemorou a decisão no Twitter: “Nos últimos meses, trabalhei para que o mundo entendesse que a Conferência de Durban estava fundamentalmente podre. E fico feliz que muitos mais entendam isso hoje”, disse ele no Twitter A primeira conferência de Durban – realizada de 31 de agosto a 8 de setembro de 2001, poucos dias antes dos ataques terroristas de 11 de setembro – foi marcada por profundas divisões nas questões de antissemitismo, colonialismo e escravidão. Os EUA e Israel se retiraram da conferência em protesto contra o tom da reunião, incluindo os planos de incluir condenações ao sionismo no texto final. Na conferência de 2009, um discurso do então presidente do Irã Mahmoud Ahmadinejad atacando Israel provocou um boicote temporário de muitos representantes europeus.