UC Berkeley adquiriu arquivo do fotógrafo Roman Vishniac

A Universidade da Califórnia, Berkeley ( UC Berkeley) adquiriu arquivo do famoso fotógrafo do pré-holocausto Roman Vishniac. A filha do artista que capturou a vida judaica na Europa Oriental na década de 1930 – e também nos primeiros anos de Israel – diz que pretende “manter o trabalho vivo”.

Um museu e arquivo judaicos dos Estados Unidos, na Universidade da Califórnia, em Berkeley,  adquiriu o arquivo completo de Roman Vishniac, o mais conhecido fotógrafo da vida judaica na Europa Oriental antes do Holocausto.

A Coleção Magnes de Arte e Vida Judaica anunciou a aquisição nesta terça-feira. O curador Francesco Spagnolo disse que a coleção inclui 6.500 impressões, 10 mil slides, 40 álbuns de negativos, 20 pastas de folhas de contato, 1.500 impressões científicas, 400 gravações audiovisuais e um grande número de documentos pessoais e de cadernos.

Vishniac, que morreu em 1990, era mais conhecido por “A Vanished World” (Um Mundo Desaparecido), publicado em 1983 e apresentando  fotos de judeus tiradas nos anos 1930, quando a sombra do nazismo chegou à Europa. Vishniac levou muitas das fotos para o Comitê de Distribuição Conjunta Judaica Norte-Americana. O JDC ajudou mais tarde Vishniac, nascido na Rússia, a escapar da Europa ocupada pelos nazistas para os Estados Unidos.

Vishniac também fotografou israelenses nos primeiros anos do país e fez centenas de imagens científicas.

“Ele olhou para as humanidades com um olhar científico e olhou para as ciências com um olhar humanista”, disse Spagnolo a The Jewish Weekly, do norte da Califórnia.

A coleção é um presente da filha do fotógrafo, Mara Vishniac Kohn, agora com 92 anos e que mora em Santa Bárbara, Califórnia, e seus filhos Naomi Schiff e Ben Schiff. A coleção estava emprestada desde 2005 ao Centro Internacional de Fotografia de Nova York.

“Minhas metas para essa coleção são manter o trabalho vivo e também, de certa forma, impedir que as pessoas morram de novo”, disse Mara Vishniac Kohn, em comunicado da  Berkeley. “Eu tenho esperança para que estes materiais e todos os esforços do meu pai estejam de alguma forma relacionados com a nossa vida atual e, mais importante, com as vidas dos jovens.”