Vídeo de 1938 revela pequena aldeia dizimada no Holocausto

Trecho do vídeo descoberto pelo escritor Glenn Kurtz. Foto: Divulgação.

 

Vasculhando os porões da casa de seus pais, o escritor americano Glenn Kurtz encontrou um filme gravado em 1938, quando seus avós fizeram uma viagem para a Europa. Entre as imagens, estavao cotidiano da comunidade judaica da cidadela de Nasielsk, na Polônia, onde moravam 3.000 judeus. Depois da guerra, restaram 80.

Kurtz entrou em contato com o Museu do Holocausto dos Estados Unidos e doou o filme para o acervo. O museu restaurou e digitalizou as imagens e as deixou disponíveis em seu site. Dois anos depois, uma mulher em Detroit viu o vídeo e reconheceu seu avô, que tinha 14 anos na época e estava vivo. A partir daí, outras sete pessoas que apareciam no filme foram identificadas. VEJA O VÍDEO.

“É porque sabemos o que acontece depois que faz dessas imagens tão poderosas. As pessoas dali não sabiam. Meus avós não sabiam, eles só estavam de férias e foram visitar uma cidade. É porque nós sabemos o que está para acontecer, vemos os rostos felizes, sorrindo, e sentimos quão vulneráveis e ameaçados eles estão. Acho que é o nosso conhecimento que dá às imagens tanto poder”, afirma Kurtz ao G1.

Em seu livro “Three minutes in Poland” ("Três minutos na Polônia"), recém-lançado nos Estados Unidos, ele mostra como os sobreviventesreviveram suas próprias histórias perdidas.

Veja encontro do autor com Maurice Chandler, o menino de 14 anos que aparece no vídeo.

Leia mais no G1.

 

Maurice Chandler aos 14 anos e em foto recente. Foto: Divulgação.