Visita à Arábia Saudita representou um grande avanço para as relações com Israel, dizem líderes judeus dos EUA

Líderes da Conferência dos Presidentes das Grandes Organizações Judaicas Americanas disseram que a visita que fizeram na semana passada à Arábia Saudita representou um ‘grande avanço’ para um “relacionamento longo e produtivo” com Israel.

“Acabamos de voltar de uma viagem muito importante ao Reino da Arábia Saudita. Foi a primeira viagem que fizemos ao reino e achamos que foi muito produtiva. Muito estimuladora”, disse o presidente da Conferência dos Presidentes, Arthur Stark, em entrevista coletiva em Jerusalém, ao lado do vice-presidente executivo Malcolm Hoenlein e do CEO William Daroff.

Embora as delegações da Conferência dos Presidentes tenham visitado vários países árabes, esta foi a primeira viagem à Arábia Saudita e acredita-se ser a primeira visita oficial ao reino por uma organização judaica americana desde 1993.

A visita, que ocorreu de segunda a quinta-feira, incluiu reuniões com altas autoridades sauditas e Mohammed al-Issa, secretário-geral da Liga Mundial Muçulmana que recentemente liderou a visita de uma delegação a Auschwitz. Al-Issa é visto como próximo a Mohammed bin Salman, o príncipe herdeiro.

As conversações entre a delegação judaica e as autoridades sauditas se concentraram no combate ao terrorismo e em questões relacionadas à instabilidade no Oriente Médio. A Arábia Saudita e Israel compartilham a mesma preocupação com relação ao expansionismo iraniano na região e diante da possibilidade de o Irã estar desenvolvendo um programa de armas nucleares.

“Tivemos um diálogo aberto. Nós nos reunimos com funcionários de alto nível e falamos sobre nossas preocupações, eles apresentaram as deles e acreditamos que encontramos um denominador comum para um relacionamento longo e produtivo”, disse Stark.

“Temos nos envolvido bastante com os Estados do Golfo ao longo de vários anos. Penso que este é um grande avanço”, disse ele, acrescentando que “a semente para uma aproximação maior com Israel já foi plantada”.

Hoenlein não quis responder a perguntas sobre se a viagem refletia a disposição saudita de aceitar o plano de paz lançado recentemente pelo presidente Donald Trump. “Nesta semana, o secretário (de Estado) Mike Pompeo estará na Arábia Saudita. Vocês podem consultar as declarações públicas das autoridades sauditas sobre o plano de paz e sobre outras questões. Esperamos que as coisas continuem mudando em uma boa direção”, disse Hoenlein.

A visita sinaliza o que poderia ser um aquecimento dos laços entre alguns dos principais grupos judaicos dos EUA e a Arábia Saudita.

A Arábia Saudita também vem estreitando laços informais com Israel nos últimos anos. Em 1993, o Congresso Judaico Americano enviou uma delegação para a Arábia Saudita, quando o processo de paz de Oslo estava em andamento.