Webinar reúne educadores, ativistas e lideranças judaicas do país

Educadores, jovens ativistas e lideranças judaicas estiveram reunidos neste domingo (18) para trocar experiências sobre educação e identidade judaica.

O encontro reuniu ao longo do dia mais de 60 representantes de federações de vários estados.

Os encontros regionais de Educação Judaica e Identidade têm sido uma iniciativa importante da Agência Judaica, com apoio da Conib e do Instituto Samuel Klein.

Estes encontros têm favorecido a troca de experiências, compartilhamento de atividades, e, este ano, em função da pandemia, a situação foi muito distinta e teve caráter inovador na medida em que reuniu comunidades do Norte, Nordeste e Sul do Brasil.

Fernando Lottenberg, presidente da Conib, Nestor Kirchuk, presidente da Agência Judaica, e Yael Sandberg, diretora executiva do Instituto Samuel Klein deram as boas-vindas aos participantes e trouxeram mensagens especificas das respectivas instituições.

O seminário foi virtual, do tipo webinar, onde convidados qualificados e especialistas puderam compartilhar conhecimento e suas próprias experiências dentro da comunidade judaica e da sociedade como um todo. Cada parte do seminário foi moderada por um representante das organizações envolvidas.

Os temas do seminário foram: Inteligência emocional, gestão de conflitos e engajamento comunitário.

O tema da inteligência emocional contou com a presença da Heloisa Capelas, especialista em desenvolvimento humano e autoconhecimento.

O tema de gestão de conflitos contou com as presenças dos convidados, Luiz Kignel e Claudia Frankel Grosman, que puderam trazer suas experiências profissionais e comunitárias com o tema.

A terceira parte contou com a presença de Luna Rosenbaum e Andre Weinberg, que abordaram diferentes possibilidades de engajamento comunitário.

O objetivo principal do seminário foi o de inspirar as comunidades judaicas, com conteúdo relevante e inovador, a adotarem novas práticas em suas atividades diárias. Independentemente do tamanho, as comunidades enfrentam desafios para engajar seus componentes, para lidar com conflitos de forma construtiva e para trilhar um caminho mais próspero, alinhado com seus valores e sua cultura.